"Saída de Hamilton não foi uma escolha só dele", garante Ron Dennis

Executivo da McLaren explica que equipe poderia ter evitado a separação se quisesse, mas que isso não seria o certo a fazer

Ron Dennis:

Após acompanhar Lewis Hamilton desde o início de sua carreira, Ron Dennis e a McLaren se separaram do pupilo em 2013. Hamilton foi para a Mercedes, em busca de novos ares, mas Dennis garante que poderia ter segurado o campeão mundial de 2008 e não se mostra arrependido por não ter tentando até o fim.

“Eu acho que é errado dizer que foi o Hamilton que deixou a equipe”, comentou o ex-chefe do time e atual presidente executivo da McLaren Automotive à revista The Business Voice. “No final das contas, a gente acaba em uma situação em que há a separação se as coisas não estão bem. A vida não sobre uma pessoa decidir tudo. Nunca é assim. A vida é sobre circunstâncias. Eu sou realista. Poderíamos ter criado uma situação em que terminaríamos juntos? Claro que sim. Mas isso teria sido a coisa certa a fazer. Nós pensamos que não”, argumentou Dennis.

O dirigente, que ainda é uma pessoa forte nos bastidores da equipe, fez questão de dizer que não torce contra o ex-comandado. “Seja qual for a decisão da pessoa ao final de um período contratual, a única coisa a fazer é ser profissional e apoiá-la. Obviamente que nós não desejamos todo o sucesso do mundo para ele na Mercedes, o que é compreensível, já que se trata de um concorrente. Mas também não desejo nada de negativo”,  concluiu Ron Dennis.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Lewis Hamilton
Tipo de artigo Últimas notícias