Sainz diz que sua estreia na Renault o surpreendeu

compartilhar
comentários
Sainz diz que sua estreia na Renault o surpreendeu
Adam Cooper
Por: Adam Cooper
Traduzido por: Daniel Betting
21 de out de 2017 18:01

Piloto espanhol admitiu que ficou surpreso com ritmo após sua mudança de equipe a partir do GP dos Estados Unidos

Carlos Sainz Jr., Scuderia Toro Rosso
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team RS17
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team RS17
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team RS17
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team RS17
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team RS17
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team RS17
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team RS17

Carlos Sainz continuou a impressionar em sua estreia na Renault F1, ocupando o oitavo lugar no TL3 em Austin, resultado que teria colocado em sexto no grid, já que dois pilotos à frente têm penalidades.

Na sexta-feira, o espanhol superou o colega de equipe Nico Hulkenberg em ambas as sessões, ficando em 10º no TL11 e 11º no TL22, embora os dois pilotos estivessem executando diferentes programas de testes aerodinâmicos.

Ele foi superado por Hulkenberg na sessão final de treinos livres, mas em apenas por 0s042. O alemão tem o benefício da última especificação V6, que melhorou seu desempenho.

"Se você me dissesse ontem, que eu teria este ritmo hoje imediatamente, eu teria assinado o documento", disse Sainz após sua primeira experiência no carro na sexta-feira.

"Então eu tenho que me contentar com isso. Foi interessante. Ter a chance de pilotar dois carros diferentes em um ano te dá muita informação, muitas coisas para se sentir, para testar”.

"Foi um dia muito interessante para mim, o TL1 em particular, sentindo o carro em condições úmidas e em condições secas".

Sainz admitiu que, apesar de a Renault ter a mesma unidade de força que a Toro Rosso, ele tinha muito para se acostumar.

"O que você realmente quer se adaptar é o freio, a direção hidráulica, o equilíbrio do carro, todos esses tipos de coisas em que me adaptei pouco a pouco ao longo do dia”.

"Ainda não estou 100%. Ainda preciso deixar um espaço no fundo da minha mente para sentir as coisas diferentes acontecendo no carro, mas espero que, à medida que eu faço mais voltas, ela se tornará mais natural, mais automática”.

"Eu precisarei continuar me adaptando e continuar me adaptando, e tenho certeza de que no final do fim de semana eu ainda não estarei 100%. Então precisamos ir pouco a pouco como estamos fazendo agora, cobrindo todos os princípios básicos e espero que possamos estar quase lá para a qualificação, e mais adiante para a corrida".

Sainz preferiu não falar muito sobre a forma como a Renault se compara com a Toro Rosso que ele guiou até Suzuka.

"É algo que eu prefiro manter para mim, porque é uma vantagem, não vou mentir, conhecer dois saldos, duas filosofias diferentes, duas equipes diferentes, dois carros diferentes, é uma vantagem que honestamente prefiro manter a mim mesmo, prefiro manter com a minha equipe”.

"Eu também acho que não é justo começar a comparar os comportamentos públicos de carro, ou qualquer coisa assim. Eu vou manter isso no meu bolso e usá-lo para o meu benefício".

Próxima Fórmula 1 matéria
Kvyat acredita que futuro com Red Bull ainda é possível

Previous article

Kvyat acredita que futuro com Red Bull ainda é possível

Next article

Com Vettel na cola, Hamilton domina TL3; Massa é 6º

Com Vettel na cola, Hamilton domina TL3; Massa é 6º

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP dos Estados Unidos
Localização Circuit of the Americas
Pilotos Carlos Sainz Jr.
Equipes Renault F1 Team
Autor Adam Cooper
Tipo de matéria Últimas notícias