Sainz: "Meu futuro não depende do acordo Red Bull-Honda"

compartilhar
comentários
Sainz:
Sergio Lillo
Por: Sergio Lillo
Traduzido por: Daniel Betting
21 de jun de 2018 21:54

Piloto espanhol da Renault deixa claro que o recente acordo entre a Red Bull e a Honda para a F1 2019, não condicionará seu futuro na categoria

Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team R.S. 18
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team on the drivers parade
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team R.S. 18
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team R.S. 18
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team R.S. 18
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team R.S. 18
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team R.S. 18

Carlos Sainz verá como seu futuro será resolvido nos próximos meses, após a passagem da Toro Rosso para a Renault antes do final da temporada de 2017. A Red Bull guardou uma opção ao madrilenho, mas Daniel Ricciardo agora bloqueia qualquer movimento da equipe de Milton Keynes, que ainda espera uma decisão do australiano, que tem contrato até o final de 2018.

Assim, Sainz poderia ser pego pela Red Bull se Helmut Marko e Christian Horner considerarem apropriado. Mas Cyril Abiteboul, CEO da Renault F1, já deixou claro que gostaria de continuar com o espanhol.

Depois que a Red Bull anunciou que vai trocar os motores Renault pelos Honda na temporada 2019, Sainz foi perguntado se isso vai influenciar em seu futuro.

Leia também:

"Por um lado, sim, mas por outro lado, também terei influência no meu futuro. No ano passado, talvez os motores tenham afetado meu futuro, mas não creio que seja esse o caso agora. Provavelmente, depende mais da Red Bull do que de Ricciardo, porque eles têm uma opção sobre mim e eu dependo um pouco disso. Mas eu acho que tudo vai evoluir após este acordo de motores e vamos ver o que acontece", respondeu.

"Eu falo com a Red Bull como antes. Temos um bom relacionamento com Horner e com Marko. Mas ainda não falamos sobre o futuro porque ninguém sabe o que vai acontecer agora."

Perguntado se agora a Renault perde uma referência importante para o futuro após a mudança da equipe de Milton Keynes para a fabricante japonesa, ele diz: "Sim, vamos perder uma referência, mas penso que a equipe está bem ciente de onde estamos e o que melhorar. Nos últimos dois anos perto da Red Bull, sabíamos onde faltavam esses últimos dois passos para sermos um time de ponta. Mas agora sabemos o que temos que fazer.”

"Eles fazem sua própria análise e levam em conta sua situação financeira e sua perspectiva de futuro. Para mim, a Red Bull e a Renault fizeram um grande trabalho nos últimos anos. Eles tiveram um relacionamento muito próximo, que no final foi quebrado. Mas sempre há mudanças na F1."

Sobre o GP em casa para a Renault, Sainz reconhece que eles têm que dar um "plus" para os vários eventos que são realizados com patrocinadores, fãs e outros compromissos.

"Você tem que dar um plus de seu tempo nos finais de semana como este para a equipe, os fãs, todas as pessoas que vêm nos ver porque é o GP em casa para a Renault."

"Pessoalmente, gosto do traçado, acho que tem curvas e pontos de frenagem que são um desafio. Eu acho que especialmente as curvas 10 e 11 são muito especiais e podem ser pontos de ultrapassagem. Talvez o ambiente com todas aquelas linhas azuis, não seja normal em um circuito e lhe dê uma sensação de pouco risco. Mas acho que a configuração é interessante, especialmente o último setor."

Informações adicionais de Adam Cooper, direto de Paul Ricard

Próxima Fórmula 1 matéria
Verstappen: Motor Honda será "muito bom" para Red Bull

Previous article

Verstappen: Motor Honda será "muito bom" para Red Bull

Next article

Ericsson sente pressão de Leclerc após GP difícil no Canadá

Ericsson sente pressão de Leclerc após GP difícil no Canadá

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP da França
Pilotos Carlos Sainz Jr. Shop Now
Equipes Renault F1 Team
Autor Sergio Lillo
Tipo de matéria Reactions