Sainz não crê que haja tanta igualdade na F1 como aparenta

compartilhar
comentários
Sainz não crê que haja tanta igualdade na F1 como aparenta
Jose Carlos de Celis
Por: Jose Carlos de Celis
Traduzido por: Daniel Betting
7 de mar de 2018 18:15

Apesar dos tempos da pré-temporada 2018, Carlos Sainz acredita que não há tanta igualdade entre as equipes de F1 como parece

Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team RS18
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team RS18
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team RS18
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team RS18
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team RS18
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team RS18
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team RS18
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team RS18
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team RS18
Pit boards for Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team

A segunda semana dos testes de pré-temporada da F1 começou e, finalmente, os times e os pilotos conseguiram testar em condições climáticas ideais.

Nesse sentido, Carlos Sainz comemorou ter sido capaz de fazer testes mais representativos. "Dar 90 voltas em uma tarde é para ficar feliz. É mais representativo do que na primeira semana. Há sinais positivos", afirmou o espanhol em Barcelona.

No entanto, ele não confia em si mesmo e acredita que, ao não saber sobre em que os outros estão trabalhando, é muito mais difícil tirar conclusões: "Precisamos ver na Austrália quando todos descarregarem o carro e libertar o motor para ver o que acontece".

Sainz revelou que, no momento, não está buscando tempos de volta: "Confio muito no que o carro atual pode melhorar fazendo alguns ajustes. Nos concentramos em adquirir quilometragem, não nos concentramos em montar o carro e procurar o desempenho" .

Quando perguntado se os carros estão tão equilibrados como parecem nas tabelas de tempos, ele disse: "Na verdade não. Creio que existem equipes por aí que... quero dizer que o rendimento de um carro de Fórmula 1 hoje pode variar de cinco a seis segundos, então não significa que estamos todos dentro de um par de segundos, porque cada carro pode ser, com certeza, até três segundos mais rápido ou três segundos mais lento.

"Além disso, a pista varia muito durante o dia. Na parte da tarde a pista estava mais difícil, melhorou, mas o vento voltou e deixou mais difícil. Também depende de quando você faz a sua melhor volta".

Ao ser questionado se é uma coincidência que, entre o primeiro e o 12º, há apenas um segundo e meio, ele declarou: "Eu acho que sim, se eu tivesse que apostar meu dinheiro em algo, eu diria que é uma coincidência".

Sainz não se deixa levar pelo rendimento da McLaren, mas acredita que a Red Bull deveria estar à frente da Renault. "Eu não sei qual gasolina eles têm, ou o mapa do motor... você não tem como saber o ritmo", disse ele sobre o MCL33. "A Red Bull deveria estar na frente, ficaria surpreso se não fosse assim, porque em 2017 nos tiraram oito décimos e recuperar isso de um ano para outro com quase os mesmos carros que no ano passado é difícil".

Próxima Fórmula 1 matéria
Alonso se diz tranquilo para Austrália, apesar de problemas

Previous article

Alonso se diz tranquilo para Austrália, apesar de problemas

Next article

Com tempo da manhã, Ricciardo fecha como mais rápido do dia

Com tempo da manhã, Ricciardo fecha como mais rápido do dia

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Pilotos Carlos Sainz Jr.
Autor Jose Carlos de Celis
Tipo de matéria Últimas notícias