Salário de Carey será de acordo com resultados, diz Liberty

Remuneração de CEO da Fórmula 1 está vinculada ao desempenho financeiro da organização que administra

Chase Carey, CEO da Fórmula 1, terá salários de acordo com os rendimentos da categoria. A notícia surge quando os resultados globais do Grupo Liberty mostraram que de abril a junho a F1 arrecadou cerca de US$ 616 milhões, (aproximadamente R$ 1.9 bi) um aumento de 3% em comparação ao mesmo período no ano passado, quando Bernie Ecclestone ainda estava no comando.

No entanto, a receita operacional caiu de 90 para US$ 45 milhões, queda de 50%, à medida que as despesas operacionais e outros custos aumentaram.

Sobre os rendimentos de Carey, o chefe da Liberty, Greg Maffei, comentou: "Não planejamos publicar seu contrato, mas queria compartilhar o fato de que grande parte da remuneração de Chase está relacionada ao desempenho operacional da F1."

Enquanto isso, Carey confirmou que os custos da F1 aumentarão, pois continua recrutando pessoas experientes para os novos cargos. Além disso, foram realizados outros investimentos em outras áreas, como o evento em Londres e na busca pela nova tecnologia digital.

"Tivemos eventos como o F1 Live em Londres, que pensamos ser o tipo de evento que é importante para se envolver com os fãs de forma muito mais ativa e ampla."

"Estamos envolvidos com parceiros digitais. Nós realmente não temos uma plataforma digital apropriada hoje, então houve investimentos para avançarmos. Nos próximos meses, pela primeira vez, estaremos refinando nossos planos em torno disso."

 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias