"Se alguém pode dar um passo tão grande, é Max", diz chefe de mais jovem da história

Comandante da atual equipe de Verstappen, que vai estrear na F-1 com apenas 17 anos, confia em seu pupilo

Mesmo reconhecendo que estrear na Fórmula 1 aos 17 anos e com pouco mais de um ano de experiência em monopostos é “um grande passo”, o atual chefe de Max Verstappen, confirmado para ser companheiro de Daniil Kvyat na próxima temporada, na Toro Rosso, acredita que o holandês pode ter sucesso na categoria máxima do automobilismo.

Frits Van Amersfoort comanda a equipe que leva seu nome e que atualmente é a vice-líder da Fórmula 3 europeia.

[publicidade] “É um grande passo mas, se há alguém que poderia fazer isso, é Max”, opinou à BBC. “Porque eu nunca vi um garoto com essa idade – e trabalhei com eles algumas vezes – tão calmo e relaxado em relação ao que faz.”

O dirigente destaca a maturidade que o piloto, hoje com 16 anos, demonstra nas situações difíceis. Quando estrear na F-1, em março do ano que vem, Verstappen será o piloto mais jovem da história a disputar um GP. Atualmente, o recorde é do espanhol Jaime Alguersuari, que tinha 19 anos e quatro meses quando estreou, em 2009.

“Ele é muito sensível com o carro. Parece que não importa quais problemas temos – e tivemos alguns problemas neste ano com limites de pista e coisas do tipo – Max se mantém calmo.”

Van Amersfoort disse ainda que o fato do chefe da Toro Rosso conhecer Max e seu pai, o ex-piloto Jos Verstappen, pode ser um fator positivo.

“O tempo dirá, mas acho que Max pode conseguir. É claro que ele precisa de aconselhamento, mas seguramente a Toro Rosso fará isso. O chefe da equipe, Franz Tost, conhece Max e conhece seu pai. Tenho certeza de que ele sabe o que está fazendo. Max tem um futuro no automobilismo, ainda que saibamos que a Fórmula 1 não é fácil.”
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias