Segundo, Raikkonen faz quarto pódio do ano e chega em Vettel

compartilhar
comentários
Segundo, Raikkonen faz quarto pódio do ano e chega em Vettel
Por: Julianne Cerasoli
12 de mai de 2013 11:38

Finlandês fez uma parada a menos que os rivais diretos e reconhece que não tinha ritmo para chegar em Alonso

Novamente adotando uma estratégia de parar uma vez a menos que seus rivais diretos, Kimi Raikkonen saiu do quarto lugar no grid para a segunda posição do GP da Espanha. Mais importante, ganhou seis pontos em relação ao líder do campeonato, Sebastian Vettel, e agora está a quatro do alemão, seguindo na vice-liderança.

Em sua 22ª prova seguida nos pontos, igualando marca obtida por Alonso entre 2011 e 2012 e ficando a duas corridas do recorde histórico de Michael Schumacher nos tempos áureos de Ferrari, o finlandês disse não se importar em não ser tão badalado quanto aqueles que aparecem como seus rivais diretos pelo título, o próprio espanhol e Sebastian Vettel.

“Não ligo, estou aqui só para fazer as melhores corridas que posso. Hoje, o segundo lugar foi o máximo que conseguimos fazer tendo em vista o ritmo do carro. Não me importo se as pessoas não veem o que faço, pois nossa meta é outra.”

Falando sobre a corrida, Raikkonen afirmou que apenas na metade da corrida, quando liderou a prova antes de sua última parada, acreditou que poderia vencer caso segurasse Alonso, que também tinha um pit stop pela frente. No entanto, o ritmo da Ferrari, com pneus bem mais novos, era muito forte.

“É muito fácil de ultrapassar, de forma que não há vantagem em lutar neste momento, porque não é possível manter o adversário atrás. Eu sabia que, se pudesse de alguma forma ficar perto dele, talvez tivesse alguma chance, mesmo com pneus velhos. Porém, no fim, eles estavam muito mais rápidos”, reconheceu.

O finlandês acredita que o fato de ter ficado atrás de Lewis Hamilton após a largada e ter perdido uma posição para Alonso na primeira volta complicou sua corrida. “Não tivemos um bom começo de corrida, mas eu não acho que o resultado final foi decidido no início.”

Ainda que preferisse a vitória visando suas chances no campeonato, Raikkonen reconhece que o segundo foi o melhor que poderia ter conquistado. “Não foi uma vitória, e só ficamos contentes com uma vitória, mas [em termos de campeonato] estamos mais perto de Vettel e Alonso chegou também, mas ainda estamos no páreo e espero conseguir coisas melhores nas próximas corridas. “Às vezes, você tem dias ruins, mas precisa tirar proveito deles e se dar a chance de brigar pelas vitórias. E se você fizer isso frequentemente terá ainda mais oportunidades.”

Se o dia foi bom para Kimi, o mesmo não pode ser dito sobre Romain Grosjean. O francês teve uma largada ruim e tentava se recuperar por meio da estratégia quando sofreu uma inesperada falha na suspensão. “O carro estava bom até aquele momento, mas tive de abandonar, o que é uma pena. É desapontador quando isso acontece, mas não posso culpar ninguém. As corridas são assim.”

Próxima Fórmula 1 matéria
Em grande recuperação, Massa sai de nono para o pódio na Espanha

Previous article

Em grande recuperação, Massa sai de nono para o pódio na Espanha

Next article

Button elogia McLaren com pneus duros, mas admite falta de ritmo

Button elogia McLaren com pneus duros, mas admite falta de ritmo
Load comments