Sem palavras, Vettel agradece a equipe apoio durante a temporada

Novo tetracampeão do mundo, alemão desabafa: “Receber vaias sem fazer nada de errado foi difícil para mim"

Depois de uma grande corrida, vencendo pela terceira vez o GP da Índia, o alemão Sebastian Vettel confirmou seu quarto título mundial. Neste 27 de outubro de 2013, o piloto de 26 anos se colocou de vez entre os grandes da história da F-1, sendo o terceiro piloto a conseguir quatro títulos seguidos, ao lado de Fangio e Schumacher.

Na estatística dos que mais conquistaram campeonatos, apenas os dois pilotos estão à frente do alemão, que divide o clube dos tetracampeões com o francês Alain Prost. Vettel se mostrou emocionado após a corrida de hoje, e disse não ter entendido ainda a conquista.

“Como piloto, juntar-me a Prost, Fangio e Michael é inacreditável. Estou sem palavras. Quando cruzei a linha, estava totalmente vazio. Eu pensei durante muito tempo em algo para falar. Neste momento você quer dizer muita coisa, mas não consegue”, falou Sebastian.

“Foi uma temporada fenomenal. Acho que o espírito dentro da equipe é muito forte. Eles me dão tanto apoio que é um prazer sentar no carro e correr pelo pessoal e dar tudo que tenho. O carro estava fenomenal hoje. Estava fenomenal durante a temporada inteira, para ser honesto. Não poderia pedir mais.”

Sobre os zerinhos na chegada, Vettel disse que o time lhe recomendou não fazê-los, mas, pela ocasião, o alemão se deu ao direito de desrespeitar. “Meu engenheiro, Rocky [Guillaume Rocquellin], pediu para que eu fizesse o procedimento padrão, mas eu disse: 'Não desta vez'. Tem tanta gente na arquibancada aqui, que tinha de fazer, apesar de não ter permissão.”

A quebra de protocolo rendeu uma reprimenda para o piloto e uma multa de 25 mil euros para a Red Bull, que deveria ter se certificado que o alemão estacionasse o carro no paque fechado após a bandeirada. A punição poderia ter sido pior, mas os comissários disseram reconhecer que "as circunstâncias foram especiais".

“Não foi uma temporada fácil, embora as pessoas de fora achem que tínhamos em nossas mãos durante muito tempo, mas foi difícil vencer as últimas corridas. “Receber vaias sem fazer nada de errado foi difícil para mim. Mas superamos isso e demos a melhor resposta na pista”, desabafou.

Enquanto o companheiro comemorava, Mark Webber vivia outra tarde decepcionante, com uma falha no alternador obrigando-o a estacionar sua Red Bull com 20 voltas para o final. O australiano, que adotou uma estratégia diferente do alemão e liderou boa parte da prova, estava em segundo quando abandonou.

“No final das contas ainda estou com um sorriso no rosto. Não poderia ter feito mais”, afirmou Webber, que defendeu a estratégia da Red Bull. Largando com pneus médios, o australiano fez um stint curto com os macios no meio da prova, período em que perdeu tempo em relação a Vettel.

“Você tem de se proteger em relação a um safety car. Precisávamos colocar os macios por algumas voltas e o fizemos. Se colocasse os médios na segunda parada, ficaria um pouco exposto se houvesse um safety car e seria complicado.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Índia
Pilotos Mark Webber , Sebastian Vettel
Tipo de artigo Últimas notícias