Senna acredita que vento vai influir mais que calor no Bahrein

Brasileiro descreve mudanças de comportamento do carro em função de mudanças climáticas e destaca comunicação com a equipe

Senna diz que a comunicação com a equipe é importante

A lição que ficou nas três primeiras etapas, todas com vencedores diferentes e sem uma equipe despontando claramente como a melhor, é de que as temperaturas de pista, tanto em classificação, quanto em corrida, foram fundamentais para determinar os resultados.

Tendo isso em vista, Bruno Senna explicou em entrevista acompanhada pelo TotalRace no Bahrein que o comportamento do carro muda em função do clima, mas é algo possível de contornar.

“A tendência geral é que, quanto mais a pista esquenta, mais o carro sai de traseira. É claro que há uma temperatura muito baixa que faz o carro sair de traseira e de frente, fica um terror de pilotar. Você tem de prever isso e tentar fazer com que a traseira fique mais estável – o que consegue com aerodinâmica e acerto mecânico.”

No entanto, o piloto da Williams acredita que outro fator será ainda mais importante no deserto árabe: o vento, que tende a mudar muito na região e também altera significantemente o comportamento dos carros.

“A temperatura está mais constante. Acho que o que pode influenciar por mudar muito é o vento. O vento tem muita influência para todo mundo nas curvas de baixa, na freada. Nos anos anteriores, um carro, de um dia para o outro, que estava bom virava um lixo pela mudança de vento. É algo a que temos de prestar muita atenção e na corrida, especialmente, se as condições estiverem mudando bastante, a comunicação com o box terá de ser bem clara.”  

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Bahrein
Pilotos Bruno Senna
Tipo de artigo Últimas notícias