Senna busca aprender pista no molhado, mas torce por seco

Brasileiro fica feliz em não ter de dividir carro nos treinos e lamenta falta de tempo para extrair mais de carro

Bruno Senna se preparando para entrar no carro

Para Bruno Senna, a 13ª posição nos treinos livres desta sexta-feira, enquanto o parceiro Pastor Maldonado foi o quinto, não é algo para se preocupar.

A chuva que caiu na segunda sessão, quando ambos estavam com a mesma configuração em seus Williams, impediu o brasileiro de evoluir mais em seu tempo de volta, mas serviu para o piloto aprender o comportamento do carro nessas condições.
 
"Fiz um primeiro treino sem ter riscos, aprendendo o carro, dando voltas, em uma configuração diferente do Pastor. No segundo treino, com carros parecidos, pude apertar mais. Pena que não tive tempo para ser mais agressivo", analisa.
 
A pista molhada deu alguns sustos em Bruno, que teve de fazer uso da marcha a ré para voltar ao traçado em determinado momento: "Aprendi bastante nesta quinta-feira. O carro no molhado parece um sabão, nunca sabemos qual pneu que trava, uma loucura. E meu carro estava competitivo."
 
Para Bruno, foi bom ter 100% de tempo de pista, sem ter de ceder o carro para o test-driver Valtteri Bottas. "Se não fizesse a primeira sessão e encarasse a segunda na chuva, estaria paranóico agora. Como vimos o Kimi, três segundos atrás do Grosjean. É um desafio difícil. O importante é focar e aprender sobre o carro, volta-a-volta e aprender. Agora vamos olhar a telemetria e decidir o sábado."
 
Por fim, o piloto da Williams torce por tempo seco, mas diz não saber o que esperar para o resto do fim de semana: "O tempo está instável e ninguém sabe o que vai acontecer. A previsão nos treinos mudava o tempo todo. Estamos na costa, com muito vento que vem rápido. Se for no seco, estamos competitivos."
 
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP de Monaco
Pilotos Bruno Senna
Tipo de artigo Últimas notícias