Ser 1º a vencer na Lotus após Senna é "algo a mais", diz Grosjean

Francês e o companheiro Kimi Raikkonen podem levar lendária marca de volta ao lugar mais alto do pódio após 25 anos

Senna caminha para sua última vitória na Lotus, em 1987

Cada vez mais próximos da vitória pela equipe Lotus, Kimi Raikkonen e Romain Grosjean lutam por uma estatística honrosa: tornarem-se os primeiros desde Ayrton Senna a subir ao lugar mais alto do pódio representando a mítica marca.

Ainda que a Lotus atualmente presente no grid pouco tenha a ver com aquela pela qual o piloto brasileiro disputou os mundiais de 1985 a 1987 e que deu títulos a Jim Clark, Graham Hill, Jochen Rindt, Emerson Fittipaldi e Mario Andretti, Grosjean admitiu que o feito daria um sabor especial a uma eventual conquista.

“Não acho que é uma pressão a mais. Acho que a F-1 já é cheia de pressão. Se vencer, será fantástico para o pessoal da equipe, na fábrica, por tudo o que fizemos desde o início do ano e o que alcançamos. E se for o primeiro piloto depois de Ayrton Senna a vencer pela Lotus, seria algo a mais para o processo e mais um motivo de felicidade. Seria um prazer a mais.”

O nome da atual equipe Lotus vem de um patrocínio da Lotus Cars, braço independente do antigo Team Lotus de Colin Chapman, cuja última vitória ocorreu no GP de Detroit de 1987, com o 99T pilotado por Senna.

Mesmo desconsiderando a marca, a equipe atualmente denominada Lotus, antiga Toleman, Benetton e Renault, não vence há quase quatro anos na F-1: a última conquista de um time baseado na fábrica de Enstone, Inglaterra, foi com Fernando Alonso, no GP do Japão de 2008.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Romain Grosjean
Tipo de artigo Últimas notícias