"Som dos novos motores me remete aos anos 1980", diz Wolff

Dirigente da Mercedes acredita que o barulho dos V6 turbo não será problema e vê equipe com dupla de pilotos forte

Não há com o que se preocupar em relação ao barulho dos novos motores da Fórmula 1, assegura o chefe da Mercedes, Toto Wolff. O austríaco afirmou que o som dos V6 turbo não é tão alto quanto dos V8 aspirados utilizados até o ano passado, mas trazem boas lembranças.

“Quando fico no pitwall, o som me remete aos anos 1980. Ainda é barulhento, ainda que não tanto, mas dá para ouvir o trabalho de engenharia dos turbo. Pessoalmente eu gosto de como ele soa e acho que em pouco tempo ninguém vai pensar nele como algo diferente.”

Falando sobre seus pilotos, Lewis Hamilton e Nico Rosberg, Wolff acredita que tem um bom material humano em mãos para a próxima temporada. “Você precisa de pilotos talentosos não apenas em relação à velocidade, mas também inteligentes. Não há dúvidas de que os outros têm parcerias fortes, mas eu não mudaria a nossa.”

O dirigente aproveitou para rejeitar o papel de favorita da Mercedes, impressão que ficou após o time ser o que mais andou nos primeiros testes de pré-temporada, em Jerez.

“Nos últimos anos, os favoritos nos testes nem sempre terminaram a primeira corrida em primeiro. Algumas equipes pareceram estar fortes de maneiras diferentes, mas ainda não sabemos tudo. Não diria qual a ordem da relação de forças até depois das primeiras provas.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias