Stuck: "F1 precisa voltar a ser o que já foi um dia"

Ex-piloto da categoria, Hans-Joachim Stuck, disse que a F1 precisa de uma grande revisão de suas regras para evitar uma queda ainda maior de interesse

Hans-Joachim Stuck competiu na F1 entre 1974 e 1979, tendo como melhores resultados dois pódios em 1977 pela Brabham. Além disso, o alemão venceu as 24 Horas de Le mans por duas vezes. Em meios às discussões sobre o futuro da competição que participou, ele deu sua opinião ao Motorsport.com.

"Falando francamente, a F1 é o topo do automobilismo, mas quem comanda tem que agir em conjunto, para voltar a ser o que já foi um dia", disse.

Quando perguntado o que poderia ser feito para mudar as coisas, o alemão brincou: "Quanto tempo eu tenho pra responder a esta pergunta?

"Vamos colocar desta forma. Eu não acho bom que levar 20 carros ao redor do mundo para um campeonato e apenas quatro poderem ganhar."

"Então o que temos que fazer? Temos que encontrar novos regulamentos, normas técnicas, que dê também às equipes menores a possibilidade de estar na frente."

"Talvez não para ganhar, mas que andem mais à frente."

Ele acrescentou: "Outra coisa importante são os custo. Eles são muito elevados. Você vê quanto dinheiro os pilotos têm de trazer para poder guiar um F1."

Foco nos pilotos

Stuck também acredita que a F1 tem obsessão em complicar regras e esqueceu que tudo deveria se resumir ao talento do piloto.

"Outra coisa importante é tirar esses truques eletrônicos engraçadinhos. Além do DRS, que o cara que está atrás abre e passa."

"A F1 tem que voltar às raízes, tornar um esporte cujo piloto seja o protagonista."

Stuck apoia a ideia do motor independente que Bernie Ecclestone que colocar na categoria, apesar da oposição das equipes atuais.

"O que Ecclestone e Todt estão fazendo juntos, trazendo um novo sistema, eu diria que eles estão fazendo a coisa certa", disse ele.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Entrevista
Tags hans-joachim stuck