Symonds: Ferrari já escolheu priorizar Vettel pelo título

compartilhar
comentários
Symonds: Ferrari já escolheu priorizar Vettel pelo título
Adam Cooper
Por: Adam Cooper
25 de abr de 2018 16:42

Ex-diretor técnico de Benetton e Renault vê Raikkonen colocado em segundo plano e questiona decisões estratégicas da Mercedes

Sebastian Vettel, Ferrari SF71H, Kimi Raikkonen, Ferrari SF71H, Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W09, Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W09, Max Verstappen, Red Bull Racing RB14 Tag Heuer, Daniel Ricciardo, Red Bull Racing RB14 Tag Heuer, Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team R.S. 18, Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team R.S. 18, and the rest of the field at the start of the race
Kimi Raikkonen, Ferrari SF71H, Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W09, and Sebastian Vettel, Ferrari SF71H
Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W09, Sebastian Vettel, Ferrari SF71H
Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W09, Sebastian Vettel, Ferrari SF71H, and Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W09
Sebastian Vettel, Ferrari SF71H, leads Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W09
Kimi Raikkonen, Ferrari SF71H
Kimi Raikkonen, Ferrari SF71H, leads Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W09
Kimi Raikkonen, Ferrari SF71H

Chefe técnico da F1, Pat Symonds acredita que a Ferrari já decidiu apoiar Sebastian Vettel sobre Kimi Raikkonen na luta pelo título deste ano com base na estratégia que viu o finlandês utilizar no GP da China. 

Raikkonen foi mantido na pista por mais tempo antes de fazer seu pitstop na tentativa de ajudar seu parceiro, algo que a equipe de Maranello já usou em outras ocasiões recentes.

Ironicamente, em Xangai, um safety car e acidentes em sequência fizeram cm que Raikkonen terminasse em terceiro, sendo que Vettel foi somente o oitavo. 

Antigo diretor técnico de Benetton e Renault, Symonds afirmou que tais estratégias não vão ajudar a Ferrari na luta pelo título de construtores.

“Acho que eles precisam decidir como vão correr”, disse Symonds. “Acho que a forma com que eles usaram Raikkonen na China foi infeliz, deixando na pista por tanto tempo para tentar bloquear outros carros.”

“E, para ser honesto, não funcionou. No momento em que seus rivais se aproximaram dele, seus pneus estavam acabados e eles puderam ultrapassar facilmente, então não foi uma ótima decisão estratégica.”

“E não acho que essa seja a forma de garantir o campeonato de construtores. Eles obviamente sentem que o título de pilotos é mais importante, e eles tomaram sua decisão.”

Symonds acredita que a equipe está em sua melhor forma desde que teve início a era híbrida, em 2014. 

“Na pré-temporada, acho que esperávamos que a Ferrari estivesse próxima à Mercedes, mas sentimos que a Mercedes tinha algo na mão. Bem, as primeiras corridas não mostraram isso.”

“A Ferrari teve performances consistentes. Eles têm uma performance razoável em classificação e um ótimo ritmo de corrida. Eles parecem mais fortes do que vi em muitos anos, e acho que eles têm todas as chances de uma temporada realmente boa.”

Symonds também considera que uma concorrência mais forte deu destaque aos problemas de longa data que a Mercedes vem enfrentando com seus pneus.

Ele destacou que isso ficou visível nos dias finais da era V8, mas que ficou escondido pelo desempenho geral do conjunto com a introdução das unidades de potência híbridas. 

“Se você olhar para o histórico recente da Mercedes, uma coisa que eles nunca dominaram foi a administração de pneus”, explicou.

“Vimos isso muitas vezes antes da era híbrida, quando eles ainda não tinham a vantagem de motores que têm agora. Ali, se eles não trabalhassem os pneus da forma certa, eles não tinham grandes corridas.”

“Acho que essas coisas foram mascaradas de 2014 a 2016, simplesmente porque eles tinham essa grande vantagem de potência.”

“Então, no ano passado, começamos a ouvir o carro ser chamado de ‘diva’. Do que isso se trata? Na minha cabeça, a diferença de performance que há de um fim de semana para outro não é explicável pela aerodinâmica ou pela dinâmica do carro ou coisa do título.”

“Com um pacote de chassis e aerodinâmica, acertar no ajuste significa que você espera ganhar cerca de um décimo da sexta-feira para a classificação.”

“Mas, quando você tem uma grande mudança, quando de repente não é mais competitivo, isso tem de ser devido aos pneus. E, se isso for decido aos pneus, é questão de não saber usá-los bem e não atingir as temperaturas corretas.”

Symonds também destacou que as estratégias também são uma fraqueza da Mercedes que ficou exposta pela concorrência mais forte. 

“Estrategicamente falando, eles também tiveram problemas. Quando você tem um carro rápido e está controlando a corrida, a estratégia vem até você, comentou.

“Mas, recentemente, vimos algumas... Não diria erros, mas diria que foram decisões estratégicas imperfeitas. Acho que isso acontece porque houve outras decisões imperfeitas anteriormente, mas, com uma vantagem de performance tão grande, você na verdade não vê isso.” 

Próxima Fórmula 1 matéria
GALERIA: relembre a carreira de Massa, aniversariante do dia

Previous article

GALERIA: relembre a carreira de Massa, aniversariante do dia

Next article

Stroll volta a Baku, onde conquistou seu primeiro pódio

Stroll volta a Baku, onde conquistou seu primeiro pódio
Load comments