Tática de uma parada complica corrida dos times pequenos

Confira como foi o GP da Áustria sob a ótica de quem ficou de fora da zona de pontuação

Quem tentou fazer apenas uma parada sofreu para levar a estratégia adiante e acabou ficando fora da zona de pontuação. Saiba como foi a corrida dos últimos colocados no GP da Áustria.

Pastor Maldonado, Lotus, 12º: “Foi um final de semana muito. Terminamos a corrida, o que é positivo, e tiramos o máximo de nosso pacote hoje. Estamos perdendo tempo nas curvas de baixa e precisamos continuar melhorando nessa área.”

Romain Grosjean, Lotus, 14º: “Não foi fácil. Tivemos muitos problemas durante a corrida que, somados a nossa dificuldade de performance, foi um baita desafio. Paramos cedo para colocar os pneus macios, mas infelizmente tivemos graining, o que dificultou a corrida.”

Jules Bianchi, Marussia, 15º: “Não foi fácil fazer nossa estratégia de uma parada funcionar, mas conseguimos e estou muito feliz com como terminamos. Foi uma boa briga, ainda que estivéssemos esperando lutar com os times mais à frente.”

Max Chilton, Marussia, 17º: “Tivemos uma estratégia muito boa, o que me ajudou a manter Ericsson atrás de mim no final da corrida e perto de Kobayashi. Eu tive um bom segundo stint, mas infelizmente me faltaram voltas.”

Jean-Eric Vergne, Toro Rosso, não terminou: “Tive dificuldades com os freios desde o início da prova. Isso não é bom para os pneus e o equilíbrio em geral, então foi uma corrida difícil. Estava dando o meu melhor para tentar trabalhar.”

Daniil Kvyat, Toro Rosso, não terminou. “Estou obviamente desapontado com o que aconteceu, especialmente porque tudo indicava uma corrida promissora. Nosso ritmo estava forte, nossos updates e administração dos pneus funcionou bem. Não sei exatamente o que aconteceu, mas temos de analisar tudo.”
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias