Temendo por segurança, pilotos pedem mudança para Pirelli

Massa e Alonso duvidam que zebras sejam vilãs; Sutil cita circuito e Pirelli inicia investigação após falhas

Não ficou nada bem para a Pirelli. Além da emocionante disputa esportiva, o GP de Silverstone de 2013 ficou marcado pela inacreditável sequência de pneus estourando no meio da pista. Primeiro foi o líder da corrida Lewis Hamilton, depois Felipe Massa, Jean-Eric Vergne e Sergio Pérez. Um risco para os pilotos e um vexame para a categoria e para a fabricante dos compostos.

Prejudicados ou não na prova de hoje, os pilotos disseram ao TotalRace que estão correndo risco de morte e a Pireli precisa tomar uma atitude rapidamente. Ainda não está claro se os problemas com os pneus foram decorrentes de uma falha estrutural nos compostos ou se a borracha sofreu cortes nas zebras do circuito. De qualquer maneira, a FIA decidiu agir e convocou uma reunião para quarta-feira com as equipes e a Pirelli, que fornece os pneus. A tentativa é entrar em acordo para que a empresa italiana possa mudar seu produto mesmo se não houver uma unanimidade entre os times, o que seria necessário pelo regulamento.

Para Fernando Alonso, a possibilidade das zebras terem causado as falhas não faz sentido. “Não mudei minha trajetória por toda a prova. É difícil acreditar que isso era o problema porque corro aqui há 12 anos com essas mesmas zebras”, lembrou o espanhol, que também sofreu cortes em um de seus pneus, mas conseguiu parar nos boxes antes que eles estourassem, algo que também ocorreu com outros pilotos, como Rosberg e Vettel.

Felipe Massa é outro que não acredita que as zebras tenham causado tantos problemas. “Eles não mudaram a pista desde o último ano e aqui não é uma pista em que você pega a zebra de maneira agressiva, pois ela é baixa. Então concordo 100% com o Alonso”, afirmou o brasileiro.

“O que aconteceu hoje foi inaceitável, pensando na nossa segurança”, desabafou o piloto da Ferrari, um dos prejudicados hoje. Sabemos do risco que é uma competição de esporte a motor e a preocupação maior é a segurança. A preocupação não é para que equipe é melhor o pneu mais mole ou o pneu mais duro, mas sim a segurança dos pilotos. E o problema foi em várias pistas. Não é a primeira vez que acontece, tive este problema no Bahrein, então precisamos mudar as pistas”, criticou o brasileiro.

Outro prejudicado pelo mesmo problema, o mexicano Sergio Pérez foi na mesma linha do brasileiro, exigindo uma atitude da Pirelli e lembrando do risco que os pilotos correm. “Muitos pneus arrebentaram, então a Pirelli tem muito trabalho, pois é uma questão de segurança. Estamos arriscando a vida e não podemos esperar que algo aconteça para tomar atitude. Temos que ver o que acontece”, opinou ao TotalRace.

Até quem não teve problemas admitiu que a situação precisa ser revista. “Os outros tiveram mais dificuldades do que nós. Não é bom ver tantos estouros, isso não tem a ver com Fórmula 1”, afirmou Adrian Sutil, da Force India, sétimo colocado na prova. “Esta pista é muito dura com os pneus, assim como a da próxima corrida, em Nurburgring e a Pirelli vai ter que fazer alguma coisa.”

Há quem defenda a volta dos pneus de 2012 ou mesmo uma alteração de construção. O fato é que a Pirelli tem pouco tempo a agir: a próxima etapa ocorre no próximo final de semana, na Alemanha. Após a prova, a empresa afirmou que está estudando as causas das falhas. "Podemos excluir que nosso novo processo de colagem, que introduzimos nesta corrida, seja a causa para os problemas. Pode haver algum aspecto no circuito que impacta nossa nova versão de pneus, mas neste momento, não podemos especular", afirmou o diretor de automobilismo da Pirelli, Paul Hembery.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Grã-Bretanha
Pista Silverstone
Pilotos Fernando Alonso , Felipe Massa , Adrian Sutil , Sergio Perez , Daniel Ricciardo
Tipo de artigo Últimas notícias