Tensão com Red Bull dificulta desenvolvimento, diz Renault

Franceses acreditam que o colapso no relacionamento com a Red Bull teve papel preponderante na falta de evolução do motor

A Renault utilizou no GP Brasil uma nova versão de seu motor, mas que na prática não mostrou ter rendimento melhor que o anterior. Apesar de alguma esperança de melhora ainda para a próxima etapa, a fabricante acredita que a situação com a Red Bull poderia ser melhor, devido ao relacionamento desgastado.

"É verdade que a história recente de incertezas com a Red Bull afrouxou a colaboração técnica entre as duas partes", disse Cyril Abiteboul, diretor da Renault F1.

"Nosso diálogo quase acabou. Tínhamos que ter mais cuidado. Isso significa que não melhoramos nossa performance, porque se você tinha que mudar algum elemento da unidade de potência, isso causa um efeito colateral em outras partes."

"Acredito que há mais elementos novos para vir, mas novamente não estamos fazendo todo o uso de nosso hardware."

"Há uma ligeira decepção, mas há mais por vir e mais explicações também."

Repensando Abu Dhabi

Abiteboul disse que uma decisão será tomada na preparação para Abu Dhabi sobre qual especificação de motor será utilizada.

E ele não descartou a ideia de voltar para a unidade de potência mais antiga, considerando que o novo motor não evoluiu.

"Temos que olhar as consequências do fim de semana do Brasil", disse ele. "Entender onde estamos, chegar a algumas conclusões e tomar decisões para Abu Dhabi, se vamos continuar ou se voltamos para a especificação anterior."

 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes Red Bull Racing
Tipo de artigo Últimas notícias
Tags cyrile abiteboul, renault