Todt: críticas sobre domínio da Mercedes na F1 são injustas

Presidente da FIA diz que Fórmula 1 está tão suscetível a domínios quanto qualquer outro esporte

Criticada por muitos desde 2014, quando iniciou sua era híbrida, a Fórmula 1 convive com um dos maiores domínios de sua história com a equipe Mercedes. No entanto, Jean Todt, presidente da FIA, acredita que as críticas dos fãs neste momento sejam injustas com a categoria.

"Eu ficaria mais feliz se tivéssemos vários vencedores diferentes, mas isso nunca vai acontecer", disse Todt à Autosport.

"Você tem que aceitar o domínio, é parte do esporte. E não é só no automobilismo, porque você tem domínios no futebol, tênis, atletismo e rúgbi.”

"Ele está em toda parte, então por que esperar nenhum domínio no automobilismo? A negatividade que rodeia isso é absolutamente injusta, mas críticas construtivas eu posso aceitar.”

"Claro, eu não estou satisfeito. Acho que a concorrência poderia estar maior. Quando nos sentamos de portas fechadas, nós tentamos abordar como podemos fazer para melhorar as coisas.”

"Mas não há necessidades de punir a nós mesmos. Ou, pelo menos, não sou desonesto o suficiente para compreender isso."

Foi sugerido por inúmeras vezes no último ano que a FIA deveria tomar para si ser o órgão regulador do esporte para a decisão de questões técnicas. Todt gostaria de receber tal poder, mas sabe que apenas as equipes podem.

"Ao longo dos últimos anos, a FIA nunca teve tanta autoridade para governar", acrescentou Todt.

"Uma vez que existe um Pacto de Concórdia assinado, são governos com direitos específicos para o detentor dos direitos comerciais, as equipes e o órgão.”

“Teríamos de assinar um Pacto de Concórdia diferente. É simples assim.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias