Toro Rosso despista sobre punições de motor em 2018

Chefe da escuderia, Franz Tost, não acredita que temporada de 2018 seja tão repleta de punições de motor, apesar na diminuição do número de unidades que poderão ser utilizadas

Em 2018, os pilotos só poderão utilizar três motores de combustão, turbos e MGU-Hs, e apenas dois MGU-Ks, para as 21 corridas.

O chefe da Toro Rosso, Franz Tost Tost diz que está apenas pensando nos aspectos positivos da nova regra.

"Em primeiro lugar, devemos ver o motor do próximo ano testado, e então podemos pensar em possíveis penalidades", disse ele ao Motorsport.com. "Mas é muito cedo agora.”

"A razão pela qual pedimos para trabalhar em conjunto com a Honda é que estamos convencidos de que a empresa tem muito potencial, é um fabricante de automóveis conhecido mundialmente com um fantástico histórico no automobilismo.”

"E nós, na Toro Rosso, estamos orgulhosos de trabalhar juntos com um parceiro tão exclusivo.”

Tost disse que o orçamento mais saudável, resultado do acordo com a Honda, permitirá a Toro Rosso aumentar seus recursos de P&D, mas advertiu que o processo deve ser tratado com cuidado.

"Um orçamento é uma história, construir uma infraestrutura é outra.”

"Tudo isso leva tempo e, claro, se precisarmos fazer algo de urgência no lado de P&D, iremos pressionar isso dentro dos nossos recursos.”

"No entanto, estamos trazendo algumas pessoas novas.” 

“Tínhamos um plano completamente diferente para 2018. Queríamos usar a traseira da Red Bull, o que não é mais o caso, porque temos um mecanismo diferente, e temos que levar as pessoas a trazer este projeto para um final bem sucedido. Mas este é um processo normal ."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes Toro Rosso
Tipo de artigo Últimas notícias