Toro Rosso espera corridas problemáticas em Spa e Monza

Chefe da equipe acredita que carros não conseguirão ir bem nos circuitos que exigem muito dos motores

Depois de correr durante toda a temporada 2016 com motores da Ferrari defasados em um ano, a Toro Rosso entrou na atual temporada usando os mesmos propulsores Renault da irmã mais velha Red Bull Racing.

Ambas as equipes acreditam que os motores franceses ainda estão atrás da Mercedes e Ferrari e que os GPs da Bélgica e Itália serão difíceis.

Enquanto a Red Bull acredita que poderá ser "razoável" em Spa, o chefe da Toro Rosso, Franz Tost, acredita que ambas as corridas serão complicadas.

“Nossos carros vão bem nas curvas de média baixa velocidade, onde o motor não é prioridade, como no Canadá, Áustria, Baku ou Silverstone”, disse. “Eu espero problemas em Spa e Monza, porque ambas as pistas têm retas longas onde você simplesmente precisa de força do motor e todos nós sabemos que perdemos neste ponto”.

Enquanto o ritmo da equipe flutuou ligeiramente ao longo da temporada, ela terminou a primeira parte do ano antes das férias de verão com um déficit de ritmo, como aconteceu quando a temporada começou na Austrália em março.

"Nós atualizamos o carro, fizemos alguns progressos, mas também temos orçamento final limitado. Não podemos surgir como as melhores equipes de todas as corridas com muitas atualizações, porque elas têm três ou quatro vezes mais dinheiro que nós”.

"Nós realmente precisamos calcular sempre o que fazemos e como fazemos, e até agora, devo dizer que fizemos um trabalho razoavelmente bom".

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes Toro Rosso
Tipo de artigo Últimas notícias