Toro Rosso gasta mais de 2 milhões de euros por acidentes em 2018

compartilhar
comentários
Toro Rosso gasta mais de 2 milhões de euros por acidentes em 2018
Por:
Co-autor: Oleg Karpov
31 de dez de 2018 16:26

Chefe reconhece que temporada foi custosa devido a azares na pista enfrentados por seus dois pilotos

A Toro Rosso gastou mais de 2 milhões euros devido a acidentes que seus pilotos sofreram durante a temporada de 2018 da Fórmula 1. A equipe júnior da Red Bull terminou seu primeiro ano com a Honda em nono lugar no campeonato de construtores depois de marcar 33 pontos, obtendo seu melhor resultado com Pierre Gasly, um quarto lugar.

O chefe da equipe Toro Rosso, Franz Tost, revelou que o time teve muitos prejuízos custosos em batidas, incluindo os acidentes na primeira volta de Gasly na Espanha e de Brendon Hartley no Canadá.

"Tivemos destaques nesta temporada e algumas corridas que não foram boas", disse Tost ao Motorsport.com.

“Os destaques foram bastante claros, quando Gasly terminou em quarto no Bahrein – o que foi uma corrida forte – e ele fez uma corrida muito boa também em Mônaco [sexto]. Em Budapeste, ele terminou em sexto também.”

“O Spa foi uma boa corrida, porque não esperávamos terminar nos pontos lá, mas terminamos em nono, e no México ele foi o décimo. Mas tivemos muitos acidentes. Neste ano, gastámos 2,3 milhões de euros apenas em acidentes.”

“O forte acidente entre Gasly e Romain Grosjean em Barcelona, o acidente de Gasly com Ocon na primeira volta na França. Também teve o acidente forte de Lance Stroll e Hartley no Canadá, e então a situação em Silverstone, onde Hartley teve um grande acidente no TL3 após uma falha de suspensão.”

“Em Monza, Brendon também foi tocado por Stoffel Vandoorne e por Marcus Ericsson, antes mesmo de chegarem à primeira curva. Isso não foi muito bom”.

Marshals remove the wrecked Brendon Hartley Toro Rosso STR13 after it crashed heavily

Marshals remove the wrecked Brendon Hartley Toro Rosso STR13 after it crashed heavily

Photo by: Andrew Hone / LAT Images

Gasly calcula que os pontos altos da Toro Rosso superaram os pontos negativos este ano, quando um upgrade falho no meio da temporada custou ao time posições na batalha do meio do grid.

O progresso da Honda comparada a seus rivais em termos de motores significou que a Toro Rosso permaneceu na disputa até o final do ano.

Gasly, que irá para a Red Bull em 2019, acredita que a Toro Rosso precisa de mais "consistência".

"Não havia como termos lutado com a Renault, ambos os pilotos marcaram muitos pontos", disse Gasly, que derrotou o Hartley por 29 pontos a quatro.

“A Force India era melhor, então acho que não estamos longe de onde merecemos estar. Estamos tão juntos no meio do grid, que pequenas coisas podem realmente fazer você ganhar muito.”

“A mentalidade é boa, o trabalho é bom. Nós não devemos esquecer que a Honda teve três temporadas duras com a McLaren e nós marcamos mais pontos do que a McLaren em 2017.”

Pierre Gasly, Toro Rosso STR13

Pierre Gasly, Toro Rosso STR13

Photo by: Jerry Andre / Sutton Images

Next article
Leclerc: Progresso ajudou a evitar ano “mentalmente desafiador”

Previous article

Leclerc: Progresso ajudou a evitar ano “mentalmente desafiador”

Next article

Ex-mecânico de Sainz, Steiner elogia bicampeão de rali

Ex-mecânico de Sainz, Steiner elogia bicampeão de rali
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Pilotos Brendon Hartley , Pierre Gasly
Equipes Toro Rosso Shop Now
Autor Scott Mitchell