Única mulher da Fórmula 1 pode perder vaga com novas regras

Susie Wolff, piloto de testes da Williams, não preenche os requisitos para ter superlicença a partir de 2016

A nova regra para que os pilotos tenham autorização a correr na Fórmula 1 vai caçar a superlicença da única mulher atualmente em atividade na categoria a partir do ano que vem. De acordo com a Federação Internacional de Automobilismo, a escocesa Susie Wolff não poderá contar com sua experiência prévia na categoria para se garantir em 2016.

[publicidade] A partir do ano que vem, quem quiser se candidatar para obter a superlicença, necessária aos pilotos de Fórmula 1, precisará ter no mínimo 18 anos, obter 40 pontos nas categorias de base, conforme ranking estabelecido pela FIA, e passar por teste teórico.

Wolff, que é atualmente piloto de testes da Williams e chegou a participar de sessões de treinos livres em 2014, algo que se repetirá nesta temporada, fez a carreira na DTM, categoria de turismo alemão, que não conta para a pontuação da FIA.

A piloto teria que, por exemplo, ser vice-campeã da GP2 em 2015 ou levar o título da Fórmula Indy, para se qualificar para obter a superlicença. 
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias