Uso do DRS será restrito na classificação a partir de 2013

Por questões de segurança, a FIA vai determinar os trechos da pista em que o dispositivo poderá ser utilizado

A FIA quer restringir o uso do DRS durante classificações e treinos livres. A medida visa aumentar a segurança e evitar que os pilotos tentem acionar as asas perigosamente nas saídas das curvas. O DRS diminui a carga aerodinâmica do carro e aumenta sua velocidade de reta. Por outro lado, o carro perde estabilidade nas curvas quando ele está ativado.

Desde que o sistema foi introduzido, ano passado, os pilotos podem ativar livremente o dispositivo às sextas-feiras e sábados. Na corrida, a FIA determina uma ou duas áreas, dependendo do circuito, em que a asa pode ser utilizada – e isso só ocorre quando um carro está a menos de um segundo em relação ao outro.

“Vamos proibir o uso do DRS durante os treinos e classificações exceto em áreas nas quais será usado na corrida. É algo que avisamos as equipes dia desses e estamos fazendo isso por motivos de segurança”, revelou Charlie Whiting, diretor de corridas da FIA.

“Houve vários incidentes e pilotos me disseram que isso está se tornando cada vez mais comum. Uns podem dizer que ativar precocemente o DRS é o mesmo que acelerar precocemente na saída de uma curva, mas o DRS é algo que liga e desliga, ao passo que o acelerador é modulável”, explicou.

Segundo Whiting, o dispositivo seria utilizado, inicialmente, apenas em corridas, mas a FIA temia que as equipes desenvolvessem artifícios menos eficientes. “Agora acredito que, baseado em nossas informações, não deveremos ter qualquer redução na potência do DRS. As equipes o usarão mesmo se só puderem fazer isso em talvez dois trechos da pista, pois o benefício estará lá.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias