Vandoorne admite que McLaren estará pressionada em 2018

Piloto belga reconhece que equipe passará por comparações diretas com Red Bull e Renault, mas pondera: “Precisamos disso para progredir”

Stoffel Vandoorne considera que a mudança na fornecedora de motor da McLaren também trará pressão à equipe inglesa, já que, agora, as comparações serão diretas com outros concorrentes fortes.

Para 2018, a equipe inglesa trocará os motores Honda pelos Renault, utilizados também pela Red Bull e pelo time de fábrica da montadora francesa.

Por mais que a McLaren espere por um grande salto de performance, o piloto belga admitiu que também haverá uma cobrança maior por resultados.

“Em 2018, a pressão na equipe é grande, porque temos grandes pontos de comparação ao nosso lado. A Red Bull venceu corridas na última temporada e a Renault também foi bem, então a pressão está aí. Mas também é algo positivo e precisamos disso para progredir”, disse, em entrevista à emissora belga RBTF.

Vandoorne afirmou que, mesmo sem ter guiado o novo carro, já possui todos os motivos para se sentir otimista com a novidade. “Tive meu primeiro dia no simulador com os engenheiros e pudemos discutir muito sobre o novo carro. Tive minha primeira sensação com o carro de 2018. A mudança será ótima para nós. Todos estão motivados para começar os testes e ver o que podemos fazer na pista”, completou.

A McLaren apresentará seu novo carro no dia 23 de fevereiro. O primeiro teste de pré-temporada acontece três dias depois, em Barcelona.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Stoffel Vandoorne
Equipes McLaren
Tipo de artigo Últimas notícias