Verstappen admite culpa, mas nega que precise se acalmar

compartilhar
comentários
Verstappen admite culpa, mas nega que precise se acalmar
Jonathan Noble
Por: Jonathan Noble
15 de abr de 2018 08:48

Vettel, por sua vez, diz que nem tinha a intenção de resistir e lamenta: “Comprometeu a corrida dos dois”

Max Verstappen, Red Bull Racing
Max Verstappen, Red Bull Racing RB14 Tag Heuer
Max Verstappen, Red Bull Racing RB14 Tag Heuer
Max Verstappen, Red Bull Racing RB14 Tag Heuer
Sebastian Vettel, Ferrari on the drivers parade
Sebastian Vettel, Ferrari SF71H, flashes past fans in a grandstand
Daniel Ricciardo, Red Bull Racing RB14 Tag Heuer, passes Sebastian Vettel, Ferrari SF71H
Max Verstappen, Red Bull Racing RB14 Tag Heuer
Sebastian Vettel, Ferrari SF71H, Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W09, Kimi Raikkonen, Ferrari SF71H, Max Verstappen, Red Bull Racing RB14 Tag Heuer, and the rest of the field

Max Verstappen reconheceu ter sido o culpado no toque com Sebastian Vettel nos estágios finais do GP da China, mas não vê a necessidade de se acalmar ao volante e mudar sua abordagem.

O holandês, que vinha com pneus mais novos após fazer um pitstop no safety car, atacou o alemão na luta por uma posição, mas provocou um toque que fez ambos rodarem. 

Verstappen conseguiu voltar à pista na frente e cruzou a linha de chegada em quarto, sendo rebaixado a quinto depois de receber uma punição. Já Vettel enfrentou dificuldades dali em diante e foi apenas o oitavo.

Em entrevista à emissora inglesa Sky Sportsdepois da prova, Verstappen descreveu o ocorrido do seu ponto de vista: “Eu podia ver que ele estava com dificuldade com os pneus e tentei frear mais tarde na curva, travei os pneus traseiros e o atingi. Claro que foi minha culpa. Não é o que eu quero”, disse.

“É fácil dizer depois que eu deveria ter esperado. Provavelmente seria a melhor ideia, mas, infelizmente, aconteceu.”

Questionado sobre a necessidade de se acalmar, já que se envolveu em incidentes nas três provas realizadas em 2018 até então, o holandês disse: “No momento, as coisas não estão indo da forma que eu quero, claro. Mas isso significa que eu preciso me acalmar? Não acho.”

“É uma infelicidade que essas coisas aconteçam, e eu preciso analisar tudo e tentar voltar mais forte para as próximas corridas.”

Vettel: “Nem pensei em resistir”

Diante de um rival com pneus mais novos, Vettel admitiu que nem tinha a intenção de fazer jogo duro para cima de Verstappen. Contudo, ele não teve tempo suficiente para ver o movimento do holandês.

“Eu não o vi até que era tarde demais. Eu deixei um pouco de espaço. Para ser sincero, eu esperava que ele viesse antes. Eu não tinha a intenção de resistir, porque eu vi com Daniel [Ricciardo] que não fazia sentido fazer isso”, analisou.

“Eles [a Red Bull] eram rápidos demais com pneus novos, então não quis comprometer minha corrida para os caras de trás. Mas ele cometeu um erro, travou os pneus. Acho que ele julgou mal e comprometeu a corrida dos dois.”

Sobre a conversa que teve com Verstappen depois da prova, resumiu: “Ele já fez corridas suficientes, mas isso pode acontecer até com quem tem 300 corridas.”

“Você não deve se esquecer de que, dentro do carro, fazer julgamentos é muito difícil, mas deve ter em mente e garantir que não bata. Ele poderia facilmente ter perdido sua asa dianteira ou ter sofrido um furo de pneu. Então, nós dois tivemos sorte.” 

Confira os dez momentos mais marcantes do GP da China

 

Próxima Fórmula 1 matéria
Hamilton lamenta mau desempenho após "desastre" na China

Previous article

Hamilton lamenta mau desempenho após "desastre" na China

Next article

Ricciardo festeja: Parece que não sei ganhar corridas chatas

Ricciardo festeja: Parece que não sei ganhar corridas chatas