"Vettel deveria se desculpar com Pirelli", diz Jo Ramírez

Ex-coordenador da McLaren, que chegou a comandar os ânimos de Prost e Senna, afirmou que Vettel e Ferrari assumiram risco de não conseguir completar a prova de Spa

Para Jo Ramírez, ex-coordenador da McLaren, as críticas de Sebastian Vettel contra a Pirelli, após o GP da Bélgica não foram justas e, como consequência, o piloto alemão poderia pedir desculpas publicamente à fabricante italiana:

"Não gostei da forma como Vettel se comportou após a corrida. Um carro de corrida é feito para andar no limite, porque você tem que ser o mais rápido possível e isso também inclui os pneus."

"As palavras de Vettel contra a Pirelli foram muito duras, mesmo com a companhia dizendo que não criticariam os pilotos. Eu, se fosse o chefe de pilotos, diria ao Sr. Vettel que oferecesse um pedido de desculpas", disse Ramírez.

Ao contrário do que disse Vettel e Ferrari, que atribuíram à Pirelli o fato de não terem conseguido terminar a prova em Spa, Ramírez acredita que a escuderia perdeu na estratégia, mas não quer admitir:

"Se o pneu estourou, temos que observar que eles (Ferrari) foram os únicos que tentaram terminar a corrida com apenas uma troca. Foram muitas voltas e para mim o pneus já tinham terminado sua vida útil", disse Jo.

E acrescentou: "Se ganhassem com apenas uma parada, seriam gênios, mas assumiram um risco que acabou não dando certo."

Ramirez ressaltou que o risco assumido pela Ferrari é entendido hoje como parte da Fórmula 1, em que as emoções estão acabando:

"A F1 está pedindo isso, você ter emoção. Os carros hoje precisam fazer duas ou até três trocas. A Pirelli colocou seu nome na linha de frente, se os pilotos começarem a reclamar muito, a marca corre o risco de perder prestígio."

Jo acabou incluindo também outro mexicano na conversa: Sergio Perez.

"Embora "Checo" seja um piloto que administra bem os pneus, por várias vezes já assumiu um risco de fazer uma troca a menos, o que o faz não ter um desempenho tão bom, aí você perde tempo, mas se o pneu não estoura, ninguém fala nada."

"No domingo aconteceu com Vettel e por isso que as pessoas falam. Mas são os riscos. A F1 é um esporte de risco que é difícil, mas você não pode mudar isso. Se mudar, o interesse do público não será o mesmo", concluiu.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Bélgica
Pista Spa-Francorchamps
Pilotos Sebastian Vettel
Equipes Ferrari
Tipo de artigo Entrevista
Tags jo ramirez, vettel