Vibrações dos pneus Pirelli podem continuar em Monza

Compostos deformaram de maneira estranha na saída das curvas de baixa velocidade de Spa

Pirelli acha possível que as vibrações misteriosas do pneu que ocorreram no GP da Bélgica podem retornar na Itália neste fim de semana. O fornecedor de pneus da Fórmula 1 ainda está buscando respostas sobre por que os pneus traseiros de vários carros foram vistos deformando de maneira estranha na saída das curvas de baixa velocidade.

Foi a primeira vez que tal fenômeno foi testemunhado e, embora não representasse risco para a integridade estrutural dos pneus, as vibrações contribuíram para danificar o Williams de Lance Stroll na classificação.

O gerente de corridas de F1 da Pirelli, Mario Isola, suspeita que o efeito poderá retornar em Monza, embora ele não pense que será tão extremo desta vez.

"É possível porque você tem grande frenagem e grande tração na saída dos chicanes de baixa velocidade. Mas também temos que entender o efeito da aderência e a rugosidade da pista. Não tenho certeza de que nós teremos o mesmo em Monza".

Isola disse que o trabalho está acelerado na fábrica da Pirelli em Milão neste fim de semana para entender melhor o que estava acontecendo no GP da Bélgica.

"Estamos verificando a frequência das vibrações e continuamos a investigar. É um novo efeito, semelhante ao que tivemos na parte lateral [no passado], mas está na banda de rodagem.”

"Quando conversamos com as equipes, elas estavam confiantes de que não se criou um problema e a corrida estava bem, então eles estavam certos. E em nossa investigação, cortamos muitos pneus durante o fim de semana da corrida e não encontramos nada Para sustentar qualquer conclusão.”

"Então, precisamos continuar investigando e verificando. Ele está na tração de baixa velocidade por isso é um efeito da tração, e então vamos olhar os dados da corrida também".

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias