Vinte anos após sua morte, Senna é 3º mais lembrado no mundo

compartilhar
comentários
Vinte anos após sua morte, Senna é 3º mais lembrado no mundo
Por: Julianne Cerasoli
26 de abr de 2014 11:30

Pesquisa aponta que popularidade do tricampeão brasileiro continua alta - e não só no Brasil

Mesmo quase 20 anos depois de sua morte, Ayrton Senna segue como o piloto de Fórmula 1 mais lembrado no Brasil e o terceiro mais citado no mundo, segundo pesquisa Sponsorlink, do IBOPE Repucom. O estudo também levou em consideração pilotos em atividade. Porém, o tricampeão brasileiro é mais citado, por exemplo, do que Lewis Hamilton, líder do atual campeonato. Para chegar a esse resultado foram mensuradas citações no Twitter, Facebook, Youtube, fóruns, blogs e websites de janeiro a dezembro de 2013.

Outro estudo do IBOPE Repucom, o Celebrity DBI, que afere a percepção da população sobre celebridades em vários países, aponta que Ayrton Senna é a primeira personalidade em aceitação e carisma entre os brasileiros. Internacionalmente, Senna também está em alta, principalmente entre os italianos e espanhóis.

Enquanto, no Brasil, sua aceitação é de 89,84%, na Itália, o piloto que nunca correu pela Ferrari tem índice de 79,88%, na Espanha, de 73,38% e no Reino Unido, de 63,83%. Até nos Estados Unidos, país com pouca tradição na Fórmula 1, sua aceitação é de 33,41%. Nesta pesquisa, o IBOPE Repucom avalia vários temas, como o conhecimento sobre a celebridade, o seu apelo e o quanto a sua vida é almejada, entre outros itens.

Quando os resultados são analisados por faixa etária, a pesquisa indica que Ayrton Senna soma 93% de aprovação entre a população de 25 anos ou mais. Já entre os mais jovens, que não vivenciaram o legado do grande piloto brasileiro, o índice é de 80%. Quando analisado por classe social, o índice de aprovação é semelhante em todas as classes, em média 89% por cento nas classes baixa, média e alta, e 93% na classe muito alta.
Próxima Fórmula 1 matéria
Domínio da Mercedes já é o maior da história da Fórmula 1

Previous article

Domínio da Mercedes já é o maior da história da Fórmula 1

Next article

Pela primeira vez num F1, Simona se surpreende com desaceleração e força G

Pela primeira vez num F1, Simona se surpreende com desaceleração e força G
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Julianne Cerasoli
Tipo de matéria Últimas notícias