Vitória tira 'mágoa' de Hamilton: ‘Nico e eu sempre seremos amigos’

Britânico, após a vitória, praticou a política da 'boa vizinhança' na Mercedes, abalada durante a última semana pela polêmica entre os dois pilotos

Hamilton comemora a vitória diante de um sorridente Rosberg
Lewis Hamilton deixou Spa-Francorchamps magoado com Nico Rosberg. A manobra do alemão, que tirou qualquer chance de o britânico brigar pelas primeiras posições na Bélgica, gerou uma crise na Mercedes. Gerou, porque neste domingo, o próprio campeão mundial de 2008 tratou de aparar qualquer desavença com o amigo/rival.
 
[publicidade] Ainda no pódio, após a cerimônia de entrega dos troféus, Lewis Hamilton passou por uma pergunta constrangedora. O ex-piloto da Ferrari Jean Alesi não pestanejou e perguntou ao britânico: ‘Você e Nico voltaram a ser amigos?’. O vencedor do GP de Monza mudou o discurso.
 
“Claro que sim! Nós somos companheiros de equipe e sempre seremos amigos”, disse rapidamente Hamilton, diante de um Nico Rosberg que permaneceu com os braços cruzados durante a entrevista do amigo/rival.
 
Rosberg e Hamilton são amigos de infância. Entretanto, o incidente ocorrido na Bélgica revoltou o britânico, que chegou até a ‘cortar relações’ com o companheiro de Mercedes. Após reuniões – e o castigo da equipe ao alemão -, o clima parece ter esfriado novamente.
 
Hamilton, sem o incômodo pela postura de Rosberg na Bélgica, guiou de forma tranquila na Itália e se aproveitou de um erro do amigo/rival para vencer a corrida e se aproximar da disputa pelo título. O britânico agora possui uma desvantagem de 22 pontos.
 
“O carro estava bom e era o mais próximo daquele ponto. Sabia que quando estivesse atrás do Nico, poderia chegar próximo por conta dos pneus. Por isso, precisava agir logo no início da corrida, era a única chance que tinha. Foi uma corrida difícil, mas conseguimos”, analisou.
 
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias