Webber: Programa de pilotos da Red Bull “amoleceu”

compartilhar
comentários
Webber: Programa de pilotos da Red Bull “amoleceu”
Por: Matt Beer
Co-autor: Oleg Karpov
Traduzido por: Gabriel Lima
12 de jan de 2018 17:01

Australiano diz que volta de Hartley mostra que gerência de pilotos do time austríaco se acalmou após sucesso na Fórmula 1

#1 Porsche Team Porsche 919 Hybrid: Mark Webber, Brendon Hartley
Daniil Kvyat, Scuderia Toro Rosso STR8
Daniil Kvyat, Red Bull Racing and Daniel Ricciardo, Red Bull Racing celebrate on the podium
Polesitter Sebastian Vettel, Toro Rosso, Mark Webber, Red Bull Racing
Brendon Hartley, Scuderia Toro Rosso STR12
Brendon Hartley, Scuderia Toro Rosso STR12
Brendon Hartley, Scuderia Toro Rosso STR12

De 2009 a 2013 na Red Bull na Fórmula 1, Mark Webber acredita que o time austríaco e o comandante de seu programa de jovens, Helmut Marko, amoleceram com o tempo e as conquistas no mundial.

Webber confirmou que a Red Bull entrou em contato com ele para saber sua opinião sobre seu antigo companheiro de equipe da LMP1 na Porsche, Brendon Hartley, antes de reincorporar o neozelandês a seu time de pilotos e dar a ele um lugar na Toro Rosso sete anos depois de sua dispensa do programa júnior.

A segunda chance de Hartley sugere a Webber que a Red Bull e seu consultor de automobilismo, Helmut Marko, amadureceram.

"Eu acho que a Red Bull amoleceu um pouco", disse Webber ao Motorsport.com.

"Não é tão intensa como nos últimos anos. E talvez essa oportunidade não tivesse acontecido antes. Você tem que tirar o chapéu para Helmut, que o analisou e deu uma segunda chance a ele. É um ambiente diferente. Está muito mais calmo – algo que vejo apenas uma vantagem."

Hartley admitiu que "desmoronou" quando teve sua nova chance na F1 com a Red Bull, e Webber concordou que o piloto de 28 anos está muito melhor preparado para essa oportunidade agora.

"Ele diz abertamente que não estava pronto quando era mais jovem", disse Webber.

Para trazer Hartley de volta, a Red Bull demitiu Daniil Kvyat. O russo ganhou os campeonatos de Fórmula Renault e GP3 como piloto júnior da Red Bull e foi promovido da Toro Rosso para a Red Bull Racing apenas após um ano na F1, mas foi então rebaixado em favor de Max Verstappen no início de 2016.

Webber citou o exemplo de Jan Magnussen, que também não teve vida longa na F1 mesmo após um título de Fórmula 3 britânico em 1994. Ele fez apenas uma temporada e meia com a Stewart.

"Tivemos muitos pilotos inacreditáveis ​​em categorias júnior, mas que não cumpriram sua promessa na Fórmula 1", disse Webber.

"Na Fórmula 1, penso que é um pouco como um restaurante onde o chefe de cozinha precisa ser especialista em vários pratos diferentes.”

"Nas categorias júnior, não. Você deve ser especialista em um ou dois pratos.”

"Mas a Fórmula 1 é um teste muito difícil para o desenvolvimento do piloto. Você realmente não tem isso em categorias júnior. Se você é rápido, você ainda pode conseguir os resultados, mas mais tarde você precisa ter gerenciamento mental e compostura."

Próxima Fórmula 1 matéria
Pirelli anuncia escolha de compostos para GP do Azerbaijão

Previous article

Pirelli anuncia escolha de compostos para GP do Azerbaijão

Next article

Guerra de pneus atrapalharia disputas na F1, diz Pirelli

Guerra de pneus atrapalharia disputas na F1, diz Pirelli
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Pilotos Mark Webber
Equipes Red Bull Racing Shop Now , Toro Rosso Shop Now
Autor Matt Beer
Tipo de matéria Últimas notícias