Whiting: Reclamações sobre comissários não tem fundamentos

Diretor de corridas da F1 rebate acusações de que comissários não são coerentes

Enquanto Max Verstappen continua decepcionado por ter sido punido no GP dos Estados Unidos, Charlie Whiting, diretor de corridas da F1, explicou as recentes polêmicas da última corrida da categoria no Texas.

"Temos que tentar adotar uma abordagem prática para isso. Há a vontade de deixar os pilotos competirem", afirmou Whiting antes do GP do México. "É somente quando fica absolutamente claro que os comissários precisam se envolver."

"Em suma, acho que as acusações de inconsistência são praticamente sem fundamento. A única vez que ficou absolutamente claro que o piloto ganhou vantagem [em Austin], ele foi devidamente punido."

Enquanto os pilotos apontaram que alguns rivais cortaram caminho sem qualquer punição, Whiting explicou que a transmissão de dados ao vivo para os delegados dá uma resposta definitiva sobre se um piloto ganhou ou não a vantagem que está definida nos regulamentos.

"Ficamos atentos sempre a essas passagens fora da pista, particularmente na curva 19. Fizemos isso durante a classificação e não vimos nada que nos deu qualquer motivo de preocupação. Pudemos fazer isso durante uma corrida também."

Ele acrescentou: "Deixar a pista não é uma infração em si, mas, se um piloto faz isso, ele deve voltar com segurança e sem obter nenhuma vantagem duradoura. Essas palavras são realmente importantes neste caso."

"Houve várias ocasiões em que os pilotos deixaram a pista durante a corrida e nos treinos que foram examinados formalmente pelos comissários, mas nenhuma vantagem duradoura foi obtida."

"O ponto aqui é realmente que os comissários sentiram que ele ganhou vantagem. Ele encurtou a trilha, claramente estava fora de pista e passou por outro piloto ao mesmo tempo."

"Então, para eles, a decisão foi bastante simples tecnicamente, mas emocionalmente, não foi tão fácil porque a decisão teve que ser feita com bastante rapidez."

Nova abordagem

Whiting disse que ficaria mais do que feliz por ter um sistema que não precise punir aqueles que saíssem da pista.

"Seria muito melhor se pudéssemos encontrar algo, um sistema, um procedimento ou características nesse circuito que fossem absolutamente inequívocos sobre se era mais rápido ou não."

"A maneira de fazer isso é usar zebras muito maiores. Nós nos afastamos das caixas de brita há anos, o que deu origem às áreas que temos agora."

"Há também a complexidade de uma pista que tenta atender a todos os tipos de carros e motos. Em Austin eles têm uma extensão extraordinária para garantir que os dois possam coexistir".

 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias