Williams adota novo design de asa dianteira

compartilhar
comentários
Williams adota novo design de asa dianteira
Jonathan Noble
Por: Jonathan Noble
19 de jul de 2018 17:21

A Williams adotou um novo design de asa dianteira para o GP da Alemanha como parte de um pacote de atualização que espera tornar seu carro mais previsível

Apenas quinze dias depois de um desastroso GP da Inglaterra, onde ambos seus carros tiveram que largar do pitlane após uma queda de assoalho que destruiu a classificação, a equipe espera conseguir um avanço com seu novo conceito de asa dianteira.

Em vez de a asa trazer mais força descendente, a ideia por trás da mudança de conceito é que ela tornará o carro mais equilibrado - de modo que os pilotos Sergey Sirotkin e Lance Stroll se sintam mais confiantes nele.

Falando sobre as mudanças na asa, Sirotkin disse: "Isso não nos dá mais tempo de volta no papel. Mas o que realmente esperamos no final do dia é nos dar uma plataforma estável.”

"Como consequência, isso dará aos pilotos mais confiança, mas tudo começa com a estabilização do fluxo de ar para qualquer outra situação externa."

Sirotkin acreditava que o potencial para um avanço na Williams significava que o fim de semana de Hockenheim era crucial para a temporada do time.

"É muito importante, porque estamos trabalhando nessas peças há um bom tempo", disse.

"Realmente esperamos que isso [seja mais previsível] e, caso contrário, significará que temos um problema de correlação mais profundo que levará mais tempo para ser resolvido - e que obviamente é mais doloroso para a equipe."

Mudanças chave na asa

By Matt Somerfield and Giorgio Piola

Williams FW41 detail front wing
Williams FW41 detail front wing

Photo by: Giorgio Piola

A nova asa da Williams vê várias facetas de design alteradas para mudar o comportamento do fluxo de ar através dela e sobre o resto do carro.

A esperança é que isso resulte em um melhor equilíbrio e desempenho - o que deve melhorar o tempo de volta.

Como pode ser visto na fotografia exclusiva de Giorgio Piola, a borda de ataque principal foi significativamente alterada (destacada em verde), pois a superfície é virada para cima, a fim de incentivar mais fluxo de ar para viajar sob a asa.

Esse ajuste também mudará a sensibilidade do tom da asa, que é sua relação com o solo à medida que o carro freia e acelera. Isso deve ajudar a torná-lo mais previsível que a versão mais antiga.

Aliado a essa alteração está o ponto de conexão com a seção central neutra da asa (seta azul). Isso também tem um impacto na geração e vorticidade do vórtice Y250 que se forma aqui.

A forma e as características do primeiro retalho acima também foram reformuladas para se coordenarem com as alterações mencionadas anteriormente.

A cascata em forma de R (seta vermelha) agora apresenta uma borda superior com rolagem, a fim de moldar o vórtice que é inevitavelmente derramado a partir de sua borda de fuga.

A geometria da aba externa também mudou, com um arco mais pronunciado aparecendo para controlar como o fluxo de ar é distribuído à frente do pneu dianteiro, melhorando o efeito de lavagem.

Reportagem adicional de Erwin Jaeggi

Próxima Fórmula 1 matéria
Vettel: Leclerc não deve ter pressa para ir à Ferrari

Previous article

Vettel: Leclerc não deve ter pressa para ir à Ferrari

Next article

GALERIA: Os números de Hamilton na Mercedes

GALERIA: Os números de Hamilton na Mercedes
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP da Alemanha
Localização Hockenheimring
Equipes Williams
Autor Jonathan Noble
Tipo de matéria Últimas notícias