Wolff: Grid mais competitivo representa "renovação" para F1

compartilhar
comentários
Wolff: Grid mais competitivo representa
1 de abr de 2018 19:17

Para chefe da Mercedes, luta de Valtteri Bottas para avançar pelotão na Austrália mostrou como o grid está competitivo em 2018 e que isso reflete a uma "nova ordem" para a F1

Lewis Hamilton, Mercedes-AMG F1 W09 leads at the start of the race
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team R.S. 18 and Fernando Alonso, McLaren MCL33 at the start of the race
Lewis Hamilton, Mercedes-AMG F1 W09 EQ Power+ leads at the start of the race
Track action
Valtteri Bottas, Mercedes-AMG F1 W09 EQ Power+ and Esteban Ocon, Force India VJM11 battle

Valtteri Bottas começou o GP da Austrália em 15º e acabou terminando a etapa inaugural da F1 em oitavo lugar, atrás da Renault de Nico Hulkenberg.

Enquanto o finlandês fez vários movimentos em uma pista reconhecidamente como a segunda mais difícil de ultrapassar, o chefe da Mercedes, Toto Wolff concordou que era mais difícil de ultrapassar do que no passado, dada a vantagem que a Mercedes desfrutava durante a maior parte do tempo.

"Acho que esta é a realidade agora", disse Wolff. "Acho que ele superou mais pilotos do que qualquer outro." Ele derrotou Lance Stroll, Esteban Ocon e ultrapassou Stoffel Vandoorne, então teve sorte com o Safety Car.”

"Seu timing foi perfeito e ele não teria atingido o top-10 sem ele, mas acho que todo o grid está muito mais agrupado e não existe tal situação em um carro que navega os pelotões como víamos antes... bem-vindo ao novo mundo."

"Em termos de regulamento, acho que vai depender dos circuitos. Nos de baixa, a Red Bull poderá estar um pouco mais perto, mas novamente, esperamos que estas três equipes possam vencer corridas e ir para o campeonato. Você poderá ver no pelotão seguinte a McLaren, Renault e Haas. Max e Valtteri não conseguiram ultrapassar esses carros."

Bottas confirmou que estava mais difícil de passar: "Sim, definitivamente", disse ele. "Todas as equipes estão mais próximas, por isso é difícil. Este ano, os carros têm mais downforce, por isso é mais difícil de seguir do que no ano passado.”

"O motor não faz tanta diferença. Nós ainda temos uma vantagem sobre a Renault, mas não é enorme.”

Próxima Fórmula 1 matéria
Ocon diz que ir para Mercedes em 2019 seria "passo lógico"

Previous article

Ocon diz que ir para Mercedes em 2019 seria "passo lógico"

Next article

Pilotos e equipes da F1 celebram pódio de Monger

Pilotos e equipes da F1 celebram pódio de Monger

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Mercedes
Tipo de matéria Últimas notícias