De volta, Pedro Piquet diz ter tido sorte: "não bati a cabeça"

Bicampeão da Fórmula 3 Brasil volta às pistas em Curitiba pela primeira vez após grande acidente de Porsche

De volta a um autódromo após o violento acidente que se envolveu na etapa de Goiânia da Porsche GT3 Cup, uma semana depois de ter garantido o bicampeonato da Fórmula 3 Brasil, Pedro Piquet diz que apesar do susto, a batida não mudou sua pilotagem.

O carro de Pedro se tocou com o de Rodrigo Baptista. Ele teve seu pneu furado e jogou Piquet para fora da pista. O resultado disso foi um total de nove giros no ar.

“Aquilo foi um pouco de falta de sorte, mas também muita sorte. Às vezes bater de lado como batemos, não acontece nada. Mas ali dei a má sorte de ter furado o pneu dele, daí ele acabou batendo e saímos virando”, disse ao Motorsport.com após ter sido o mais rápido na F3 nesta sexta-feira (16) em Curitiba.

“Dei mais sorte porque minha mão esquerda, que ficou para fora, não pegou forte no chão, só deu uma raspadinha. Fico feliz de ter tido uma recuperação rápida e com certeza vou continuar do mesmo jeito que estava andando antes.”

Pedro relata sentir ainda um pouco de dor na mão, que ficou presa para fora do carro, mas não vê nada que possa abalar sua confiança. “A mão está um pouco dolorida, não tenho ainda tanta força. Ela ficou um tempo parada, imobilizada, mas vamos conseguir fazer este final de semana normalmente.”

Falando com o pai, o tricampeão de F1 Nelson Piquet, Pedro disse ter ficado mais tranquilo. Para Nelsão, o principal foi o filho não ter batido a cabeça. O ex-piloto sabe bem o que é isso: já sofreu um forte acidente na Tamburello nos treinos para o GP de San Marino de 1987, no qual não pode tomar parte na corrida por ter tido diagnosticada uma concussão. “Ele me tranquilizou pelo fato de que não bati a cabeça muito forte. Isso é bom”, disse Pedro.

“O importante é a cabeça, porque o resto você consegue consertar. Nós só viramos, capotamos várias vezes, mas não batemos reto na parede. Ele falou: ‘foi só a mão que machucou, isso a gente arruma’.”

O piloto não decidiu, mas não deverá correr a próxima etapa da Porsche GT3 Cup, na semana que vem em Curitiba.

Testes na Europa

Questionado, Pedro negou que esta seja sua última corrida no Brasil e foi firme dizendo que ainda não há nada certo para a próxima temporada.

“Não sei de onde veio essa notícia”, falou ao Motorsport.com.

“Talvez eu vá ter algum treino, talvez não. Se tivermos treinos de pré-temporada lá fora, eu vou fazer. Se não tiver, estarei em Interlagos. As datas não estão confirmadas.”

“Estamos ainda falando com as equipes que já conversávamos no ano passado. A Carlin e a Van Amersfoot, gente que já temos contato. Vamos tentar marcar treinos e para o final do ano vamos tentar resolver alguma coisa.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 3 Brasil
Pilotos Pedro Piquet
Tipo de artigo Últimas notícias