Lutador de MMA, canadense se aventura no automobilismo brasileiro

Aos 32 anos de idade, Ryan Verra administra cinco academias no Canadá e mantém vivo o sonho de chegar à Indy

Dos octógonos para as pistas do Brasil. Algo bem improvável para a maioria, mas possível para o canadense Ryan Verra. Após investir em uma carreira ligada ao MMA por mais de uma década e se tornar um empreendedor reconhecido dentro do nicho, ele resolveu realizar outro sonho: ser piloto.

Em 2012, ele deixou a vida certa de lado para começar a correr nos EUA. Natural de Calgary, Ryan queria - e ainda quer - chegar à Fórmula Indy. Sem experiência de kart, ele iniciou sua empreitada na USF2000. A categoria faz parte do “Road to Indy” - um conjunto de cinco campeonatos que oferecem um caminho mais rápido para se chegar à Indy.

Um ano depois de ser segundo no campeonato nacional de USF2000, surgiu o convite de seu amigo Nicholas Silva, piloto brasileiro nascido nos EUA. Verra, que havia ficado os primeiros meses de 2014 parado por conta de uma cirurgia mal-sucedida no olho para corrigir uma miopia, já estava ok e resolveu tentar a sorte na Fórmula 3 Brasil pela equipe RR Racing.

“Como fui convidado para vir ao Brasil substituir outro piloto, acabei não optando por tentar ir para a Europa, ou Japão, ou Austrália”, disse ao Motorsport.com. “Mas, no fim das contas, meu objetivo é voltar em alguns anos para participar da Indy. Para mim seria chegar ao topo.”

“É difícil porque não tem lugar para treinar no Canadá. Só tem hóquei. Para eles, NASCAR e Indy são a mesma coisa.”

“Comecei a correr há dois anos e meio. Nunca andei de kart e nem nada. Apenas pulei em um carro de corrida e comecei. Fiz a USF2000 por um ano, cheguei em segundo. Depois tive de fazer uma cirurgia no meu olho, fiquei seis meses parado, e só aí vim para a Fórmula 3. Fiz algumas provas no ano passado.”

Verra busca inspiração nos melhores pilotos que já saíram do Brasil. “Como não há Fórmula 3 na América do Norte, o Brasil é um dos melhores lugares para correr. Até porque muitos bons pilotos vieram daqui. Ayrton Senna, Hélio Castroneves e muitos outros. Todos muito talentosos.”

Saída do MMA

Em 2008, Ryan Verra trabalhou em um programa no canal Fight Network. A emissora, como o nome já dá a entender, tinha como enfoque principal lutas. O canadense fazia a produção de um noticiário que falava do estilo de vida e dia a dia dos lutadores. Paralelamente, ele ainda dava aulas e administrava suas academias.

“Antes de correr produzia um programa, era o FN TV. Era um programa de luta, de MMA, bem no estilo UFC. Lutei por 12 anos”, contou.

“Também abri cinco academias neste tempo. Lutei por muito tempo, diversas modalidades diferentes.”

Mesmo com a vida ganha, ele nega que esteja só se divertindo com seu dinheiro no Brasil. “Tenho meus patrocinadores também. Crooks & Castles, Mr. Lube e Brixton. Gente que gosta da ideia de ter um canadense correndo no Brasil.”

“Não tenho ídolos”

Para Verra, apenas o trabalho o transformará em um piloto de sucesso na Indy. Por isso, ele prefere traçar seu próprio caminho, sem se espelhar em ninguém. “Sou mais ou menos como Senna. Só acredito em trabalho e dedicação. Sem ídolos”, ressaltou.

“Para mim, qualquer um que trabalhar duro pode conseguir grandes coisas. Por isso, não tenho um piloto e nem ninguém que veja como ídolo. Hoje em dia treinam macacos para pilotar espaçonaves, então qualquer um pode fazer qualquer coisa.”

Morando longe, Ryan também aproveita as vindas para América do Sul para conhecer melhor o Brasil. “Moro no Canadá, mas quando venho para cá normalmente aproveito a viagem e faço turismo. São 10 mil quilômetros, então sempre vejo coisas diferentes na América do Sul. É divertido.”

Atualmente, Ryan Verra ocupa o décimo lugar na Fórmula 3 Brasil. Ele está 52 pontos atrás do líder do campeonato, Pedro Piquet – filho do tricampeão de F1 Nelson Piquet.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 3 Brasil
Pilotos Ryan Verra
Tipo de artigo Entrevista