Coluna do Pietro Fittipaldi: Freio complica busca por título

Em sua coluna no Motorsport.com, brasileiro fala sobre etapa da Fórmula V8 3.5 em Austin em que viu a diferença na liderança diminuir na busca pelo título da categoria

A forma como o fim de semana em Austin terminou para mim e para a equipe, a espera de dois meses antes da rodada final da temporada provavelmente será uma eternidade.

Eu estava na busca para pelo menos terminar a corrida de maneira sólida no domingo, no Circuito das Américas, e se não fosse pela falha do freio, o campeonato não estaria terminado, mas a pressão para a etapa final seria muito menor. 

Se dependesse de mim, faria a prova do título hoje, mas tenho certeza de que aproveitaremos bem o tempo que temos até o Bahrein, se preparando da melhor maneira possível.

Encontrando o ritmo

Pietro Fittipaldi, Lotus
Pietro Fittipaldi, Lotus

 

Sobre o fim de semana, eu estava em uma pista que nunca havia corrido antes, embora já havia trabalhado muito no simulador. Ainda assim, me surpreendi quão irregular eu estava. 

Eu sofri um pouco na primeira classificação, talvez sobrecarregando um pouco o carro e não conseguiria fazer uma volta perfeita.

A segunda sessão de classificação foi muito melhor, eu estava um pouco mais preciso e senti que realmente tinha uma volta para a pole position.

Senti que tinha passado um bom momento no final. Me foi dito que conseguimos a pole e já estava comemorando, e ouvi depois: 'não, espere, você empatou com Alex'.

Alex Palou estabeleceu um tempo de volta idêntico ao meu, mas no início da sessão, o que significava que a pole era dele.

Então, enquanto eu sentia que a segunda classificação foi muito melhor, ambos renderam o mesmo resultado: um início na primeira fila.

Falha estranha

Pietro Fittipaldi, Lotus
Pietro Fittipaldi, Lotus

 

Na primeira corrida, pude pressionar meu companheiro de equipe, Rene Binder, que estava na liderança, mas comecei a ter um desgaste de pneus muito grande e recuei. Após o Safety Car, Egor Orudzhev estava muito mais rápido atrás de mim e me alcançou.

Fiquei desapontado por terminar em terceiro, porque quero vencer todas as corridas, mas para o campeonato não foi tão ruim.

E a corrida 2 parecia melhor. Tive uma largada decente, embora Egor tenha ficado à minha frente no lado de fora da curva 1. Mas eu realmente senti o carro melhorar e tinha certeza de que poderia ir rápido, especialmente porque era uma corrida com pit stop e podíamos mudar os pneus traseiros .

Eu queria ficar dentro de um segundo, um segundo e meio ou mais de Egor e tentar avançar durante o pit stop. Sinceramente, acho que era factível. Alex, que liderou a corrida inicialmente, ficou preso no trânsito e ficou atrás de Egor depois da parada, então eu sinto que poderíamos ter conseguido superar os dois.

Em vez disso, o pedal do freio entrou no assoalho na terceira volta. Não havia sinal de que isso poderia acontecer, já que freei bem na curva anterior, mas o freio traseiro falhou e fui para o muro.

Por sorte, foi na curva 1, uma enorme curva e com cascalho. Se fosse em uma das curvas descendentes, poderia ter sido um acidente muito desagradável.

A equipe ainda está investigando o que aconteceu. Não foi culpa deles nem nada - o freio estava bem abaixo do limite de milhagem, então foi apenas algo estranho.

Indo para o Bahrein

Pietro Fittipaldi, Lotus
Pietro Fittipaldi, Lotus

 

A última pista da temporada - Bahrein - é realmente interessante. Corri lá não faz muito tempo, na MRF, e consegui um pódio.

Tem duas retas muito longas, e não há muitas curvas rápidas. São todas com frenagem forte, e provavelmente haverá alguma diferença nas configurações.

Antes da decisão do título, vou para o GP do México e do Brasil de F1, de modo que vou preencher meu tempo um pouco.

Haverá muito foco para a decisão, não apenas em como guiar o carro, mas em todos os aspectos diferentes, pontos de ultrapassagem, ou onde os pilotos cometem mais erros.

Quanto à diferença de pontos, você pode olhar de duas maneiras. A forma negativa, como um copo meio vazio, é que tínhamos 18 pontos à frente, provavelmente poderíamos ter 25, talvez 30 à frente. Mas você também pode ver de outra maneira, já que tivemos um abandono na corrida 2, mas ainda estamos 10 pontos do segundo colocado e há uma margem de segurança. E é assim que eu vou olhar para isso.

Mas é uma mentalidade diferente agora. Se eu entrasse na etapa final com 30 pontos, talvez entraria na curva 1 sem correr risco, porque eu só precisaria de 20 pontos nas duas corridas para ganhar o campeonato.

Mas agora está muito perto, será uma abordagem diferente e iremos para o Bahrein com o objetivo de ganhar ambas as provas.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula V8 3.5
Evento Austin
Pista Circuit of the Americas
Pilotos Pietro Fittipaldi
Equipes Charouz Racing System
Tipo de artigo Últimas notícias