Piloto polêmico da Red Bull perde chance de título de F3 asiática e fica longe da F1

compartilhar
comentários
Piloto polêmico da Red Bull perde chance de título de F3 asiática e fica longe da F1
21 de jan de 2019 13:08

Britânico Dan Ticktum, que venceu duas vezes seguidas “copa do mundo” da F3 em Macau, tenta garantir 40 pontos para conseguir superlicença da F1

Dan Ticktum foi eliminado da disputa pelo título do Asian F3 Winter Series. A notícia é um golpe em suas esperanças de coletar os pontos finais que precisa para uma superlicença de Fórmula 1 – algo que sua patrocinadora, a Red Bull, parece desesperada para conseguir.

O britânico está disputando a Asian F3 Winter Series em uma tentativa de aumentar seu atual total de 35 pontos na licença – número com o qual terminou a Fórmula 3 Europeia como vice-campeão na última temporada. São necessários 40 pontos para se qualificar para uma superlicença e, portanto, tornar-se elegível para correr na F1.

Dez pontos estão em oferta para o vencedor do campeonato asiático de inverno, e um lugar entre os três primeiros seria o suficiente para a Ticktum acumular o que ele precisa. No entanto, com um campeonato ruim até aqui ele é apenas o oitavo. Seu melhor resultado é um segundo lugar. Ele está 95 pontos atrás do líder do campeonato até aqui, seu companheiro de equipe holandês, Rinus VeeKay, e a 35 do terceiro, Alessandro Ghiretti.

A pressão para Ticktum é real, já que a dupla de pilotos de 2019 da Toro Rosso é composta por Daniil Kvyat e Alexander Albon – pilotos anteriormente descartados de seu programa de jovens. Pelo fato de Ticktum não ter pontos suficientes, ele não pôde subir para a categoria neste ano. Ou seja, atualmente não há um jovem da Red Bull qualificado para estar na F1, com o britânico sendo o mais próximo.

Temperamental e talentoso

As qualidades de Ticktum como piloto são inquestionáveis. Ele venceu por duas vezes a “copa do mundo” de F3 em Macau, em 2017 e 2018. Porém, o piloto também se notabilizou durante sua carreira por se envolver em polêmicas.

A maior delas foi em 2015, quando em uma corrida na MSA Formula ele ultrapassou dez carros durante um Safety Car para jogar seu carro em outro concorrente. Com isso, ele foi banido do automobilismo por dois anos. No entanto, sua pena foi diminuída e ele retornou no ano seguinte, em 2016.

No ano passado, ele foi o vice-campeão da F3 europeia atrás de Mick Schumacher, questionando a legalidade de seu carro após sua grande melhora na parte final da temporada.

Agora, durante o campeonato asiático da F3, Ticktum sequer foi ao pódio na única das seis provas que finalizou entre os três primeiros (em Buriram, Tailândia, na semana passada), logo após de ter dado uma entrevista bastante quente para a equipe de transmissão.

Perguntado sobre como foi a prova, ele se referiu como “um desastre”, e logo depois reclamou de seu companheiro de equipe por tê-lo segurado e por seu jogo de pneus ser “uma merda”.

Veja:

 

Ticktum competirá na Super Fórmula japonesa neste ano.

Next article
Protegido da Red Bull corre de F3 na Ásia de olho em superlicença

Previous article

Protegido da Red Bull corre de F3 na Ásia de olho em superlicença

Next article

Regra deve tirar possibilidade de superlicença de Ticktum

Regra deve tirar possibilidade de superlicença de Ticktum
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria F3