"Não sei quantas vezes quase rodei", revela Nasr, segundo

Brasiliense arriscou largar com pneus slick mesmo com a pista molhada na Alemanha e se deu bem

Stefano Coletti e Felipe Nasr acertaram em cheio na estratégia e venceram a corrida 2 da GP2 na Alemanha. Os dois largaram com pneus slick mesmo com o asfalto molhado, apostando que a pista secaria – e ela secou. A dupla sofreu nas primeiras voltas, mas depois ganhou terreno e fechou com o primeiro e segundo lugares. O pódio foi completado por Stoffel Vandoorne.

[publicidade]Na largada, o pole Nathanaël Bertho manteve-se na frente com facilidade, já o restante do top 4 teve dificuldades com o piso escorregadio. Jolyon Palmer, Mitch Evans e Marco Sorensen pularam na frente dos pilotos com pneu slick, enquanto uma batida entre Johnny Cecotto e Stéphane Richelmi  causou um Safety Car.

“Foi muito difícil. Na largada, a pista estava muito molhada e cheguei a pensar que tinha sido a escolha errada. Mas depois de cinco ou seis voltas, a pista começou a dar uma secada e clareou um pouco. Conseguimos ir melhorando o tempo, mas tive de ter muita paciência. Não sei quantas vezes eu quase rodei. A recuperação foi fantástica, mas foi uma loteria”, admitiu Nasr ao TotalRace.

Tinha um monte de carro rodando na minha frente, eu não via nada. Fui me salvando, era uma questão de me manter na pista. Olhava para o céu e nada de sol. Demorou, mas a pista começou a secar e dava para ver no visual que estava tirando a diferença. O Safety Car ajudou, mas é assim: às vezes a gente tem de tomar uma decisão e deu certo dessa vez.”

Na relargada, os líderes começaram a perder cerca de 2s por volta e, na décima volta, Palmer foi o primeiro a parar para colocar pneus de pista seca, no mesmo momento em que Coletti marcava o melhor tempo, mostrando que os slicks eram os pneus certos.

Aproveitando um segundo Safety Car, Vandoorne acabou se dando bem nas paradas e se colocou na frente de Coletti e Nasr. Porém, na relargada, a dupla superou o piloto de testes da McLaren e Sorensene tomou a ponta.

O restante da prova ficou marcado por uma briga particular entre Nasr e Coletti, mas o monegasco conseguiu controlar a distância de cerca de 1s e se manteve à frente.

Após uma pilotagem sem erros sob condições bastante difíceis, Nasr acredita que mostrou serviço para os “olheiros” da Fórmula 1. “Nesses momentos difíceis é que a gente tem a oportunidade de mostrar alguma coisa. Eu aproveitei a oportunidade e é isso que vou continuar fazendo para chamar a atenção até o final do ano.”

Mesmo com o resultado, Palmer segue na liderança do campeonato, com 168 pontos, contra 127 de Nasr e 100 de Cecotto. Com a vitória, Coletti chegou aos 96. A próxima etapa será na semana que vem, em Budapeste.

“A partir de agora, está na metade do campeonato. Este final de semana estava difícil, não tínhamos o melhor carro, mas vamos para a Hungria agora. Tem muito campeonato pela frente e as coisas mudam muito rápido e posso conseguir tirar a diferença em um final de semana em que ele pontuar pouco”, espera o brasileiro.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias FIA F2
Tipo de artigo Últimas notícias