Razia diz que vaga na Sauber está distante. "Querem experiência"

Brasileiro está em contato com a equipe, mas mira outras vagas. Vice da GP2 criticou escolha de Hamilton

O mercado de pilotos da F1 se agitou na última sexta-feira. Hamilton foi confirmado na Mercedes e a McLaren logo tratou de anunciar o mexicano Sergio Pérez como companheiro de Jenson Button em 2013. Com isso, foi aberta uma cobiçada vaga na consistente Sauber.

O brasileiro Luiz Razia, vice-campeão da GP2, está de olho nesta vaga, mas reconhece que suas chances são pequenas. “Temos um contato com a Sauber e já fizemos nossa proposta, mas é uma vaga muito complicada, pois eles querem um piloto experiente e isso não é bom pra mim”, explicou Razia em entrevista à Radio Jovem Pan.

Razia esperava que algum time grande contratasse Paul di Resta ou Nico Hulkenberg, liberando uma vaga na Force India, equipe com a qual tem laços maiores e já testou recentemente. “Teria sido melhor para mim se tivessem escolhido o Paul di Resta ou o Hulkenberg. Esperávamos uma coisa e acabou acontecendo outra. Mas de qualquer jeito, o mercado se abriu e agora é esperar para ver quem vai para a Sauber e que outras vagas podem surgir”, comentou o baiano, que admite correr em uma das nanicas, desde que não seja na HRT.

“A HRT está sofrendo até para ficar no grid. A gente quer estar numa equipe que não sabe se vai correr. A Marussia se estabilizou um pouco e agora conseguiu o 10º lugar no campeonato, o que foi ruim para a Caterham. Mas a Caterham tem pessoas competentes, que podem fazer um bom carro com dinheiro na mão”, analisou Razia.

Para o brasileiro, a escolha de Sergio Pérez pela McLaren foi surpreendente, mas justificável. “A McLaren escolheu levando em conta o talento e o patrocínio, que será muito importante para ela”, afirmou Razia, que criticou a decisão de Hamilton ir para a Mercedes.

“Será bom para ele, pois vai ganhar muito dinheiro. Mas o piloto deve correr pelo prazer de vencer. A partir do momento que você corre por dinheiro, está indo para o lado errado”, definiu.

Sobre a perda do título nas últimas etapas da GP2, Razia lamentou, mas, mesmo assim, permanece confiante na ida à F1. “O título não é algo que mudaria muito em relação às negociações para entrar na F1, mas mudaria pra minha vida. Foi uma pena, mas sei que fiz o melhor que podia. Poderia ter evitado alguns erros, mas não dá para ser um robô e fazer 24 etapas sem nenhum erro. E esses erros custaram caro, já que eu não tinha um carro sempre em condições de ganhar”.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias FIA F2
Tipo de artigo Últimas notícias