BMW amplia suporte à F-E antes do esperado

Fabricante alemã aumentou seu envolvimento de engenharia com a equipe Andretti Fórmula E para tentar recuperar o terreno perdido após uma temporada 2016/17 difícil

A Andretti abandonou o seu módulo de controle ATEC-01 antes da temporada 2015/16 e seu primeiro pacote de motor/caixa de câmbio/inversor foi bom o suficiente para marcar pontos em cinco das 12 corridas em 2016/17.

Foi anunciada uma parceria técnica com a BMW antes do início dessa temporada, e o fabricante alemão fará a entrada na F-E com um programa de trabalho pleno em 2018/19.

A BMW aumentou seu suporte de engenharia para a próxima campanha, embora ainda não ofereça assistência de seu módulo de controle.

O Motorsport.com entende que mais engenheiros da BMW serão incorporados na equipe de corrida, embora ainda seja predominantemente pessoal da Andretti.

"Foi uma temporada realmente decepcionante no ano passado, não podemos esconder isso", disse o piloto da Andretti, António Felix da Costa, contratado da BMW, ao Motorsport.com.

"Queremos sair dessa posição, mas temos que ser realistas. Não foi uma pré-temporada fácil, para ser honesto, tivemos algumas questões técnicas”.

"Houve algumas mudanças grandes e uma enorme ajuda da BMW depois disso. Eu não sei por que isso foi feito, mas estou realmente feliz que aconteceu”.

"Olhando o que temos agora, e todo o esforço que vem da BMW, antes do que eu esperava, é bom".

A equipe Andretti não iniciou testes privados com seu módulo de controle para 2017/18 até agosto, depois que a temporada anterior terminou.

Começou 2016/17 marcando dois pontos em Hong Kong, mas desapareceu à medida que a temporada se desenvolveu.

Da Costa disse que a assistência que a equipe está recebendo da BMW agora teria dado uma vantagem significativa se estivessem feito testes no meio da temporada, mas era "melhor tê-los antes tarde do que nunca".

"Não estávamos perto. Agora eu sei o que a Renault poderia ter e o que a Audi está fazendo. Eu posso dizer que estávamos milhas atrás desses caras em termos de software, auxílio para o piloto, abordagens de situações”.

"Só sei disso agora falando com novas pessoas e fazendo testes".

A Andretti trabalhou para tentar resolver o desconforto de Da Costa na frenagem que o feriu na temporada passada.

O piloto de 26 anos acredita que a equipe continuará a progredir com a ajuda da BMW.

"Um dos nossos homens olhou para a nossa frenagem [durante o teste] e disse que é uma bagunça - eu disse:’ Eu lhe digo que já é muito, muito melhor do que era!’".

"Tudo fica muito mais confortável quando você chega a um circuito de rua e apenas me ajuda maciçamente como um piloto - no ano passado eu senti como se a p#*&@ do carro quisesse me jogar no muro”.

"O delta para os rapazes mais rápidos é provavelmente o mesmo, mas acredito que podemos conseguir isso reduzido. Isso dá muito trabalho e muito trabalho de software, para melhorar a frenagem, obter mais potência, mais eficiência e fazer a carro melhor para o piloto".

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula E
Equipes Andretti Autosport
Tipo de artigo Últimas notícias