Chefe da Fórmula E nega que FanBoost seja injusto

Alejandro Agag disse que não vê problemas com o sistema e rejeita reclamações de que o recurso não seja justo

O processo que dá energia extra para pilotos da Fórmula E via apoio dos fãs, o FanBoost, está sob a mira de alguns pilotos. Um deles é Lucas di Grassi, que deixou clara sua opinião na Malásia.

"Não me interpretem mal, gosto do FanBoost. A ideia é positiva, mas poderia ser melhorada. Não dá para ter uma relação entre a tabela de classificação e posts de mídia social. Acho estranho."

"Gosto do conceito, mas talvez existam outras formas de dar a outros pilotos mais oportunidades ou uma maneira diferente de contar os votos."

"Tem que ser otimizada, mas é uma ideia positiva."

Apesar da natureza pública dos comentários que questionam a precisão do sistema, Agag disse ao MOTORSPORT.COM que ele não tem nenhum problema com pilotos fazendo questionamentos. No entanto, ele também ofereceu uma garantia de que o sistema é preciso e que "voto robô" é impossível.

"Para mim, é totalmente correto que os pilotos expressem suas opiniões. É tudo parte do show," disse Agag. "Mas normalmente os que não estão felizes são os que não conseguem a vantagem do FanBoost, simples assim. Se você conseguir, você gosta do sistema. Se você não conseguir, você não gosta."

"Temos sistemas para evitar a votação robô e coisas deste tipo, então os votos são reais."

"Eu estava na sessão de autógrafos e eu perguntei a uma criança qual era seu piloto favorito. Ele disse: 'Nick (Heidfeld), dei oito FanBoosts para ele'.

"Isso é o que queremos e o que é muito mais importante. Todas as outras coisas não importam tanto. Nós estamos 100% comprometidos."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula E
Tipo de artigo Últimas notícias
Tags agag