Confira as diferenças técnicas entre F1 e Fórmula E

Temporada inaugural da Fórmula E termina nesse final de semana e o Motorsport.com preparou uma lista com diferenças entre a F1 e a categoria dos carros elétricos.

A Fórmula E apareceu para o mundo com um conceito novo no automobilismo mundial. A categoria teve sua primeira temporada iniciada em setembro de 2014. Além de ser a primeira categoria na qual os carros são movidos totalmente a eletricidade, o projeto visa desenvolver novas tecnologias para o futuro.

Apesar de diferir da F1 em muitos aspectos, a Fórmula E também é uma categoria de monopostos. Pela natureza similar, ex-pilotos da Fórmula 1 foram atraídos para o campeonato, incluindo três brasileiros: Lucas di Grassi, Nelsinho Piquet e Bruno Senna.

Às vésperas do encerramento da temporada inaugural da Fórmula E, neste final de semana (27 e 28) em Londres, confira quais são as principais diferenças técnicas entre a categoria elétrica e a Fórmula 1.

 

Carro da Fórmula E

Dimensões
5m x 1.8m.

Peso mínimo
896 kg (incluindo o piloto), sendo 320 kg só de bateria.

Potência Máxima
200kw, o equivalente a 270 cv.

Modo de corrida
150kw, o equivalente a 202.5 cv.

FanBoost
Durante a corrida os pilotos escolhidos por votação popular no site oficial recebem por um período de cinco segundos um aumento na potência máxima de 150kw a 180kw (aumento de 30kw / 40.5 cv).

Aceleração
0 a 100km/h em 3 segundos.

Velocidade máxima
225 km/h.

Unidade de potência
Bateria recarregável produzida pela Renault.
Os carros não contém controle de tração.

Chassi
Produzido pela Dallara

Câmbio
Câmbio borboleta (paddle shift).
Marchas sequenciais com cinco velocidades.

Freios
Sistema hidráulico com o material de livre escolha das equipes.

Som
O carro não emite som tradicional dos carros de corrida, pois é movido à bateria.
*O regulamento não permite o uso de telemetria.

 

Carros de Fórmula 1

Dimensões
5.2m x 1.8m.

Peso mínimo
702 kg (incluindo o piloto) – sem combustível.

Potência Máxima
760 cv, sendo 600 do motor a combustão e mais 160 do sistema de Recuperação de energia (ERS).
RPM
15 mil giros (as equipes usam um limitador para 12 mil giros nas corridas, para evitar quebras).

Sistema de Recuperação de Energia (ERS)
Os carros contêm um sistema de recuperação de energia que se recarrega nas freadas. Os pilotos podem usar por 33 segundos por volta, o que dá uma potência de 160 cv extra.

DRS – Drag Reduction System (asa móvel)
Nas retas autorizadas dos circuitos os pilotos podem apertar um botão que aciona um dispositivo na asa traseira que reduz o arrasto aerodinâmico e dá mais velocidade aos carros.

Aceleração
0 a 100km/h em 2,6 segundos.

Velocidade máxima
370 km/h.

Unidade de potência
Motor 1.6 L Turbo.

Chassis
Livre produção das equipes (com especificações no regulamento).

Câmbio
Câmbio borboleta (paddle shift).
Marchas sequenciais com oito velocidades.

Freios
Sistema ABS com o material de fibra de carbono de livre escolha das equipes.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula E , Fórmula 1
Tipo de artigo Conteúdo especial