F-E promete diferença significativa de potência de novo carro

compartilhar
comentários
F-E promete diferença significativa de potência de novo carro
Alex Kalinauckas
Por: Alex Kalinauckas
31 de mar de 2018 13:49

CEO da categoria também comenta mudança de regra para próxima temporada, quando não será mais dado um ponto a quem fizer a volta mais rápida, sendo esse ponto dado a quem terminar a prova com mais energia

DS E-TENSE FE 19
DS E-TENSE FE 19
DS E-TENSE FE 19
DS E-TENSE FE 19

O carro da 2ª geração da Fórmula E aumentou o armazenamento da bateria em comparação ao seu antecessor e os pilotos não terão mais que trocar de carro no meio da prova.

Mas a categoria e a FIA estavam interessadas em manter um elemento estratégico e o uso obrigatório de dois níveis de potência durante as corridas da F-E foi confirmado pelo Conselho Mundial de Automobilismo do órgão.

"A FIA ainda está ajustando o sistema e vai liberar as informações sobre como funcionará, mas acho que 200kW será o modo de corrida e o outro modo será mais alto do que isso", disse Alejandro Agag, CEO da Fórmula E, ao Motorsport.com.

"Vamos ter que fazer alguns testes com os carros para descobrir qual será esse modo de potência, seja 220, 230, 240, 250, o que for. Mas será significativamente maior. Haverá uma boa diferença.”

Quando perguntado se a decisão sobre os modos de corrida dependeria da densidade de potência fornecida pela bateria fornecida pela McLaren Applied Technologies, Agag respondeu: "Sabemos muito bem qual será a densidade de energia, a temperatura e o quanto você pode usá-la."

Agag acrescentou que o Fanboost, que atualmente aumenta a potência em 100kw por cinco segundos para os três pilotos vencedores em seu segundo carro deverá ter outro aumento no nível de desempenho.

“Será provavelmente mais um passo de potência”, disse ele. "Mas, novamente, não está completamente decidido."

A FIA também anunciou que não será mais dado um ponto para a volta mais rápida em cada corrida, com a recompensa sendo dada ao piloto que terminará a prova com mais energia.

Agag explicou que, embora essa mudança tenha ocorrido com um pequeno risco de os pilotos tirarem o pé para garantir o ponto extra, ele não se preocupa com seu impacto potencial nas corridas.

"Eu não sei exatamente como isso vai funcionar, mas acho que é um bom conceito", disse ele.

“Queremos recompensar a gestão de energia, por isso é uma boa iniciativa. Eu acho que será medido por telemetria.”

"É interessante. Isso me lembra de quando estávamos na GP2 e se você terminasse em oitavo na primeira corrida, você largaria da pole no dia seguinte.”

“Então você tinha pessoas correndo em sétimo que estavam tentando ser ultrapassadas, mas o outro cara não queria ultrapassar, e então, de repente, outro cara vinha de trás para tentar tirar vantagem.”

“É difícil prever todas as consequências e existem alguns pequenos riscos.”

"Tendo uma visão maior, o vencedor marca a maioria dos pontos e isso só será um ponto, então há uma clara diferença nas recompensas."

Reportagem de Stuart Codling

Próxima Fórmula E matéria

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula E
Autor Alex Kalinauckas
Tipo de matéria Últimas notícias