Fórmula E mantém loteria do treino classificatório

Categoria elétrica não seguirá adiante com a ideia de eliminar polêmico sistema do classificatório, que organiza grupos definidos por sorteio

Desde a criação da Fórmula E, o treino classificatório ocorre com os 20 pilotos divididos em quatro grupos de cinco, e esses grupos são decididos por um sorteio.

A partir da temporada 2015/16, os cinco mais rápidos da fase de grupos progredem para uma sessão de "superpole", com o resto do grid configurado pelo tempo mais rápido.

O formato é divertido, mas também atraiu críticas de alguns pilotos e equipes, pois levavam desvantagem daqueles que correm no primeiro grupo em algumas pistas.

Uma proposta foi feita para decidir grupos pela ordem do campeonato em vez disso, mantendo os rivais juntos sem garantir nenhuma influência significativa de variáveis como mudança no clima.

Pelo menos um piloto achava que essa mudança havia sido confirmada, mas o Motorsport.com entende que os representantes da equipe foram informados de outra forma em uma reunião em Valência durante os testes de pré-temporada no mês passado.

"Eu não gosto do sistema - eu estava realmente desfavorecido na temporada um e dois em Londres, e fui favorecido na terceira temporada", disse Lucas di Grassi ao Motorsport.com.

"Seria muito bom colocar os pilotos do campeonato no mesmo grupo".

Sébastian Buemi disse que estava esperando pela mudança, mas ouviu que tinha sido descartada no meio do teste de Valência.

"Eu estava esperando que isso acontecesse", disse o campeão de 2015/16.

"Quando você chega a uma pista onde o sorteio desempenha um papel importante - nós tínhamos duas pistas, Montreal e México, onde era muito ruim se qualificar no grupo um - poderia destruir seu fim de semana".

Di Grassi também revelou que Sam Bird havia sugerido um formato há um ano, que havia sido transmitido à categoria, mas não foi adotado.

"Os grupos seriam aleatórios, quatro grupos de cinco", explicou. "Os três primeiros vão para o segundo nível”.

"Então você tem dois grupos de seis, e os melhores três e três voltam novamente. Então você tem a superpole de seis e o resto do grid é definido pelo tempo”.

"Desta forma, todos estão no mesmo nível. Não importa se está chovendo ou não, você só precisa ser o melhor do seu grupo. É apenas um estágio a mais e pode ser interessante".

Di Grassi também propôs um formato de corrida de "entretenimento completo" envolvendo uma pré-final e uma final, com o grid para a pré-final definido pela ordem inversa do campeonato.

"Você teria a última corrida do ano com quatro ou cinco caras lutando pelo campeonato", acrescentou. "Tem maiores defasagens entre as posições que contam pontos, e cada luta importa. Isso seria legal".

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula E
Pilotos Lucas di Grassi , Sébastien Buemi
Tipo de artigo Últimas notícias