Fórmula E revela como “modo ataque” vai funcionar

compartilhar
comentários
Fórmula E revela como “modo ataque” vai funcionar
Por: Alex Kalinauckas
3 de dez de 2018 19:23

Categoria revelou como o formato de corrida será apresentado aos telespectadores da TV e de quem estiver na pista no campeonato de 2018/2019

A Fórmula E revelou como o formato de corrida no “modo ataque” será apresentado aos telespectadores da TV e da pista no campeonato de 2018/2019.

Como confirmado pelo Motorsport.com, os pilotos devem correr por meio de uma zona de ativação fora do traçado normal, passando por três sensores, depois de armar o modo de ataque por um botão para acessar uma potência mais alta de 225kW.

O posicionamento é projetado para garantir que os pilotos percam tempo antes de obter acesso ao modo de maior potência, com o sistema inspirado no jogo Mario Kart.

 

As transmissões F-E na quinta temporada incorporarão a realidade virtual, com a zona de ativação renderizada na pista como um gráfico, de acordo com um comunicado da F-E.

"A tecnologia de ponta vai aproveitar o rastreamento de câmeras na pista, dados de telemetria ao vivo e poderosos gráficos para ajudar a contar a história da corrida", continuou o comunicado.

O Motorsport.com apurou que a duração exata e o número de ativações do modo de ataque só serão reveladas algumas horas antes de cada corrida, para evitar que as equipes simulem a maneira mais rápida de usar esse modo nos diferentes locais da F-E.

A F-E também confirmou o sistema de iluminação LED colorido que irá empregar no halo durante a próxima temporada.

As luzes do halo irão brilhar em azul quando o carro estiver no modo de ataque e magenta quando o fanboost estiver ativado.

Maximilian Günther, Dragon Racing, Penske EV-3 with the new hyper boost LED lights on the halo

Maximilian Günther, Dragon Racing, Penske EV-3 with the new hyper boost LED lights on the halo

Photo by: Alastair Staley / LAT Images

A F-E também está preparada para aumentar de três para cinco o número de pilotos que têm acesso ao fanboost durante cada corrida, embora essa mudança ainda esteja sujeita à aprovação do Conselho Mundial de Automobilismo da FIA.

Alejandro Agag, CEO da F-E, explicou ao Motorsport.com que a expansão foi “para trazer mais variedade à corrida, um pouco de modificação para o fanboost, para não ficar muito obsoleto”.

"Estou super feliz com o halo, com a inovação no modo de ataque, estou super feliz com tudo", continuou Agag.

"Continuamos e mudamos tudo muito rápido, e esse ritmo é o DNA puro da Fórmula E".

Next article
Fórmula E confirma corrida na Coreia do Sul para temporada 6

Previous article

Fórmula E confirma corrida na Coreia do Sul para temporada 6

Next article

Di Grassi: Fórmula E não ficará menos emocionante com novas regras

Di Grassi: Fórmula E não ficará menos emocionante com novas regras
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula E
Autor Alex Kalinauckas