Fittipaldi reclama de “show vexatório” e de imagem afetada

Em entrevista à revista Veja, Emerson diz que trabalha para resolver situação financeira e que repercussão foi exagerada

Em uma semana que se viu envolvido em polêmica por causa de uma reportagem da Rede Record sobre a sua situação financeira, o bicampeão de Fórmula 1 Emerson Fittipaldi concedeu uma entrevista à revista Veja reclamando da repercussão.

Segundo Fittipaldi, o seu patrimônio é superior à dívida e ele pretende resolver os problemas em até seis meses “caso o Brasil volte a funcionar”. Em nota divulgada durante a semana, o ex-piloto já havia dito que a crise econômica havia afetado os seus negócios.  

 Não (estou quebrado), absolutamente. Meu patrimônio é muito superior à minha dívida. Esse show que fizeram comigo é vexatório. Recebi ligações da Alemanha, dos Estados Unidos, da Inglaterra e teve uma até uma reportagem sobre esse assunto no Japão. Minha imagem, em nível global, foi afetada”, disse Emerson à revista Veja.

A reportagem veiculada no Domingo Espetacular da TV Record no último domingo diz que as dívidas do ex-piloto somam mais de R$ 27 milhões entre duplicatas, hipotecas e pedidos de penhora.

As imagens mostraram carros, como os da Copersucar e o #20 da Patrick, com o qual Fittipaldi conquistou a primeira vitória nas 500 Milhas de Indianápolis, em 1989, sendo apreendidos de uma mansão do ex-piloto em São Paulo - que também servia de museu - para serem avaliados e leiloados. Enquanto isso, os carros permanecerão no autódromo de Interlagos.

Ainda de acordo com a emissora, objetos, como réplicas de outros modelos, troféus e até mesmo cadeiras de escritórios, também foram levados para que sejam revertidos em dinheiro para saldar as dívidas.

Emerson disse que a situação é reflexo de investimentos que não deram certos. “Passei por dificuldades financeiras, pedi empréstimos em bancos, cujos juros são muitos altos, e investi em negócios que não deram o retorno que eu esperava”.

O ex-piloto ainda disse que não tem medo de ser preso. “Tudo meu é transparente, não tem nada escondido”, disse, antes de defender sua dignidade e dizer que trabalha para reverter o quadro e a repercussão negativa.

“Sou um homem digno, íntegro, cristão verdadeiro e nunca neguei que estivesse devendo. Atendo a todos os meus credores e tenho uma equipe no Brasil trabalhando full time para resolver essas questões”, disse.

“Conquistei as maiores categorias de automobilismo no mundo, vou sair dessa, mas tem gente que quer denegrir a imagem de alguém que é um ídolo. Quando você é um ídolo, está lá em cima, só há um caminho para as pessoas derrubá-lo. Elas têm inveja. Mas venho recebendo apoio de amigos e sócios do mundo inteiro”, completou.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Geral
Tipo de artigo Últimas notícias