Com pilotos da Ferrari na GP2, Prema evita expectativas

Com Leclerc e Fuoco, chefe da equipe campeã em 2016 diz querer focar o time para trabalhar em conjunto

Para a temporada de 2017 da GP2, a equipe Prema vai ser uma espécie de Ferrari júnior. Com seus carros vermelhos, o time abrigará dois pilotos da academia da Ferrari. Serão eles o francês Charles Leclerc e o italiano Antonio Fuoco.

Para o chefe da equipe, Rene Rosin, ter pilotos tão bem cotados não trará pressão extra para seu time.

"Eu não sinto que teremos pressão extra, exceto talvez porque estaremos em vermelho, e isso significa que todos vão nos olhar ainda mais", disse Rosin em entrevista ao site da GP2.

"Mas é como disse aos pilotos durante em nossa primeira reunião: o mais importante será trabalhar.”

"Precisamos fazer o que temos que fazer se quisermos vencer. Precisamos trabalhar se quisermos ser os melhores. Precisamos ser capazes de lutar contra os outros – é a única coisa a fazer."

Rosin diz que Prema tem dado duro para fazer ganhos internos durante o inverno. O time foi campeão em 2016 com Pierre Gasly e vice com Antonio Giovinazzi.

"A lição mais importante é o trabalho em equipe", comentou Rosin.

"Você pode ter os melhores engenheiros, você pode ter os melhores pilotos, você pode ter os melhores mecânicos, mas se a equipe não funciona corretamente junta, você não vai conseguir nada.”

"Desde segunda-feira após a última etapa estamos trabalhando novamente do zero para 2017.”

"Nós não temos nenhuma expectativa, exceto para o fato de querermos ver nossa equipe trabalhando duro junta.”

“A GP2 é a categoria mais forte depois da Fórmula 1, então nunca é fácil. Todo mundo está continuamente trabalhando para ficar ainda melhor."

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias GP2
Tipo de artigo Últimas notícias