Alfa Romeo admite interesse na Indy

compartilhar
comentários
Alfa Romeo admite interesse na Indy
David Malsher
Por: David Malsher
Traduzido por: Daniel Betting
19 de jan de 2018 19:40

Sergio Marchionne, CEO da Fiat Chrysler, admitiu que há interesse em entrar em uma das marcas da FCA na Verizon IndyCar Series

Lisa Boggs, Mark Kent, Jay Frye, Art St. Cyr, Stefano Deponti
Alfa Romeo logo
Alfa Romeo lettering
Tony Kanaan, A.J. Foyt Enterprises

Em novembro do ano passado, o retorno da Alfa Romeo à Fórmula 1 foi formalizado em parceria com a equipe Sauber, e no início deste mês a Haas disse que estaria aberta a fazer algo semelhante.

No NAIAS auto show em Detroit, Sergio Marchionne, CEO da Fiat Chrysler, disse aos repórteres italianos que promover a marca Maserati através da Haas seria "um bom projeto", enquanto parece descartar a ideia da Maserati na Fórmula E.

O ítalo-canadense, que ameaçou renunciar à F1 após 2020, acrescentou que está considerando a IndyCar e que ele detém Gian Paolo Dallara - fundador e dono do fornecedor de longa data do chassi da IndyCar - na mais alta estima.

"Por que não Alfa Romeo na IndyCar?" disse. "Estamos pensando nisso”.

"Gian Paolo Dallara - Considero-o um ótimo, o melhor engenheiro italiano".

Jay Frye, presidente de competições e operações da IndyCar, não confirmaria que a Fiat Chrysler era um dos fabricantes de equipamentos originais com quem a IndyCar mantinha conversas.

Na noite da última quinta-feira, ele disse à Motorsport.com: "Nos últimos meses, especialmente desde a conclusão da temporada de 2017, tivemos inúmeras reuniões com os fabricantes sobre as perspectivas de se tornar parceiros da IndyCar. Tivemos cerca de dez reuniões iniciais, alguns retornos.

"O que ajudou, em primeiro lugar, a ter nosso plano de cinco anos, onde estamos indo como uma série. Lembre-se, mesmo antes do design do carro de 2018, além de conversar com nossos fornecedores atuais, Chevrolet e Honda, nosso time também conversou com outros fabricantes da indústria que poderiam ser potenciais parceiros, dos quais somos amigos, para obter suas opiniões. Eles gostaram do nosso plano e onde estamos indo”.

"Bem, agora nós executamos a primeira grande parte desse plano de cinco anos, levando o carro a funcionar, e os pilotos e donos de equipes estão fazendo comentários muito positivos sobre isso. Então conseguimos voltar para os fornecedores e dizer: ‘Olhe, fizemos isso, a primeira parte do plano foi executada e está indo bem’".

"Então eu posso dizer que houve muito entusiasmo e resposta positiva a isso e por isso estamos muito encorajados - mudar para um kit aerodinâmico universal removeu um importante obstáculo técnico e financeiro para potenciais fornecedores. E assim houve uma atividade realmente boa e respostas”.

"Tudo o que dissemos que faremos está acontecendo, o carro até agora fez tudo o que queríamos, e tem sido importante que as empresas vejam que estamos seguindo”.

"Tudo o que posso dizer é que foi particularmente encorajador que até mesmo os fornecedores que nós não consultamos antes de colocar o nosso plano de cinco anos no lugar, estão a prestar atenção. Sabem o que estamos fazendo, estão se interessando”.

Frye confirmou novamente que tanto Chevrolet quanto Honda estão interessados em ver a IndyCar com mais um fabricante.

"Eles também conhecem as pessoas na indústria. Nós estamos de mãos dadas com eles em relação à prospecção de fabricantes, já que trabalhamos no plano de cinco anos e no novo carro".

Próxima IndyCar matéria
Dreyer & Reinbold negocia com Danica Patrick para Indy 500

Previous article

Dreyer & Reinbold negocia com Danica Patrick para Indy 500

Next article

Bourdais rebate chefe da Haas: “F1 vive em uma bolha”

Bourdais rebate chefe da Haas: “F1 vive em uma bolha”
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria IndyCar
Autor David Malsher
Tipo de matéria Últimas notícias