Barrichello: "Foi legal ganhar de F-1, mas Indy pra mim começa agora"

Com 40 anos recém-completados, fala com exclusividade ao TotalRace e lembra outros aniversários na pista

Barrichello puxa pelotão em treinos na pista de Indianápolis

Novato aos 40 anos e partindo pela primeira vez no “top10” na Fórmula Indy – justamente na principal corrida da categoria. Rubens Barrichello, recordista de largadas e duas vezes vice-campeão do mundo na F-1, conta sorrindo como desfruta da vida de “rookie” nos Estados Unidos.

Aniversariante na última quarta-feira, o piloto brasileiro conversou com o TotalRace com exclusividade. Ele lembrou outras festas na pista e outras vezes em que esteve no mítico circuito de Indianápolis. E cravou: “Foi um grande prazer vencer aqui [pela F-1]. Mas a verdadeira Indianápolis começa agora”

TOTALRACE: Rubens, esta semana normalmente é uma semana grande para as corridas no mundo e você já deve ter tido diversas experiências de fazer aniversário na pista. Tem alguma em especial que te marcou?

RUBENS BARRICHELLO: Puxa vida, a verdade é que quase 100% dos últimos 19 anos eu passei em Monte Carlo, porque é sempre a data da corrida. Pode ver que é o que acontece de novo este ano, com o pessoal correndo lá em Mônaco. É a data do meu aniversário que calha sempre... Então foi sempre assim. Minha memória vai de Mônaco e agora em Indianápolis.

TOTALRACE: Em Mônaco teve alguma data, alguma dessas festas especialmente marcante? Teus 30 anos por exemplo...

RUBENS BARRICHELLO: Veja, pra mim, aniversário sempre foi especial. Mas o primeiro que tive de F-1 lá, o cantor Chris Rea fez um CD cantando happy birthday pra mim, que foi marcante. O resto a idade vai passando... Eu adoro meus aniversários e inclusive as pessoas que não gostam do aniversário, daquela coisa de cantar parabéns e tal eu até fico enchendo o saco, porque eu realmente gosto da data e acho que tem que ser algo muito festivo. Agora, quantos anos, qual vez ,etc., isso daí eu não lembro muito.

TOTALRACE: Você tem o privilégio de, com todo seu repertório de pilotagem, ser um rookie aos 40 anos de idade numa corrida fantástica como esta. Como você encara essa condição?

RUBENS BARRICHELLO: Está me deixando mais jovem ser um rookie numa situação assim e estou tranquilo em relação a isso. Estou pronto para aprender mais e mais. Imagina, eu na F-1, com 19 anos de experiência, estava aprendendo sempre, então agora no meu primeiro ano de participação o quanto eu estou aprendendo na Fórmula Indy. Então com certeza tem muito ainda para aprender.

TOTALRACE: No anúncio do seu projeto para este ano na Indy você citou que sua experiência em oval era nula. E mesmo assim é nesta corrida sua melhor posição de largada na temporada veio aqui. Esperava sair no “top 10” em Indianápolis?

RUBENS BARRICHELLO: O bom da vida é não ter que ficar pensando no que vai acontecer amanhã ou depois... Tá tranquilo, fiz o meu papel da melhor forma possível, fui aprendendo com fases e essa coisa de oval não é fácil, é realmente muito diferente. Mas foi uma surpresa boa. Estar entre os “top 10” foi uma surpresa boa.

TOTALRACE: Para a prova, já imaginou a largada com três carros lado a lado, o que deve ser outra situação inédita para você?

RUBENS BARRICHELLO: Não. Não tem muito o que fazer. Tem é que dar a cara pra bater e depois comentar. Logicamente acredito estar preparado para essa situação, mas não sei o que pode ser.

TOTALRACE: Aqui em Indianápolis você já ganhou uma corrida de F-1 em 2002 e também participou de outra com apenas seis carros em 2005. Quais suas memórias de cada uma dessas outras edições?

RUBENS BARRICHELLO: Eu adorei, cara. Adorei correr aqui nos Estados Unidos, adorei correr em Indianápolis. Mas devo dizer que a verdadeira Indianápolis acho que começa agora. Ela é conhecida por ser anti-horária e não horária. Então foi um grande prazer poder ser um dos vencedores aqui em Indianápolis, mas a verdadeira começa é agora.

TOTALRACE: É senso comum no automobilismo que os três principais eventos do esporte a motor são o GP de Mônaco, a Indy 500 e as 24 Horas de LeMans. Le Mans está nos teus planos futuros?

RUBENS BARRICHELLO: Não tava nem Indianápolis... Os planos futuros são feitos para que a gente possa ter uma base do que quer fazer na vida. Mas logo que o cenário muda um pouquinho, os planos também mudam. Então tem que deixar aberto... Meu pensamento está aberto. Nunca pensei em correr as 24 Horas de Le Mans, mas nunca tinha pensado em correr Indy 500 e estou aqui hoje. Então com certeza as coisas mudam. E pode acontecer.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias IndyCar
Tipo de artigo Últimas notícias