Carro novo é "menos chato", diz Castroneves, que resgata tempos de kart

compartilhar
comentários
Carro novo é
Por: Bruno Vicaria
26 de abr de 2012 17:00

Fato de frear com o pé esquerdo e acelerar com o direito faz tricampeão da Indy 500 voltar 20 anos no tempo

Helio Castroneves

Natural de Ribeirão Preto e uma das estrelas não só da Indycar, mas do automobilismo brasileiro e do mundo das celebridades, Helio Castroneves tratou de se isentar da posição de destaque do fim de semana no Anhembi.

"No momento sou o vice-líder, o que é importante, mas o cara que temos de prestar atenção é o Will Power", conta o tricampeão da Indy 500, que, em entrevista coletiva nesta quinta-feira em São Paulo, falou bastante sobre o carro novo, a coqueluche desta temporada.
 
Segundo o representante da Penske, que nunca foi campeão da Indy, o carro se mostrou "menos chato" que parecia e suas evoluções o fizeram resgatar algo que estava guardado em seu subconsciente há 20 anos: frear com o pé esquerdo e acelerar com o direito.
 
"Só tive a oportunidade de andar em janeiro, enquanto o Power teve o privilégio de testar já no fim de outubro. Esperava uma coisa tão diferente que não achei tão ruim. É como o filme que você espera ser chato, mas, no fim, acha legal", analisa.
 
"Tive uma certa adaptação. Antes freava com o pé direito e, agora, como temos dois pedais, decidi guiar como no kart. O começo é meio estranho, mas é como voltar 20 anos no tempo. O fato do freio de carbono ser diferente do freio de ferro que usávamos não dificultou na adaptação", comenta Castroneves.
 
Sobre o bom início de campeonato, Helio celebrou o fato de ter suplantado o começo ruim de 2011. "Mudamos um pouco o começo de temporada que tivemos no ano passado. Começamos com vitória em uma estrategia diferente, depois largamos na pole e terminamos em segundo. Só em Long Beach que não deu para ficar nem entre os dez primeiros, pois o Viso segurou muito nossa vida."
 
Por fim, Castroneves se isentou do acidente com Barrichello em Long Beach, que gerou até uma reclamação do compatriota: "No incidente com o Rubinho, é claro que não queria tocar nele e nem senti o toque."
Próxima IndyCar matéria
Prefeitura desembolsa cerca de R$ 27 mi para prova da Indy, revela prefeito

Previous article

Prefeitura desembolsa cerca de R$ 27 mi para prova da Indy, revela prefeito

Next article

Chance na Andretti traz brilho aos olhos de Bia Figueiredo

Chance na Andretti traz brilho aos olhos de Bia Figueiredo
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria IndyCar
Autor Bruno Vicaria
Tipo de matéria Últimas notícias